Leonardo Bennassato/Framephoto
Leonardo Bennassato/Framephoto

Tchê Tchê garante a vitória do Palmeiras sobre o Botafogo

Alviverde sofre muito, mas vence por 1 a 0 e estreia vencendo no Paulistão

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

05 Fevereiro 2017 | 18h59

O Palmeiras não teve uma atuação de encher os olhos, mas fez o necessário para vencer a organizada equipe do Botafogo-SP por 1 a 0, neste domingo, no Allianz Parque, e garantiu seus primeiros três pontos no Campeonato Paulista. Em meio as estreias de Felipe Melo, Raphael Veiga, Willian e Michel Bastos em jogos oficiais pelo clube, quem fez a diferença foi o polivalente Tchê Tchê, com um belo chute de fora da área.

Ainda sem poder contar com força máxima, o Palmeiras viveu de altos e baixos durante a partida, mas por ser início de temporada, acabou tendo uma atuação razoável. Com Willian como referência no ataque, o Palmeiras iniciou a partida como o torcedor imagina ver ao longo da temporada. Toques rápidos, movimentação e um ritmo intenso de jogo. Porém, faltou qualidade na finalização, tanto que durante toda a primeira etapa, o goleiro Neneca não precisou fazer nenhuma grande defesa.

O tempo ia passando, nada de gol e a ansiedade entre os jogadores era evidente. Willian, que seria a referência na área, acabou sendo bem marcado e apareceu pouco no jogo. O capitão Dudu gritava com o time, mas quem parecia acordar e sair do campo de defesa era o Botafogo. A equipe de Ribeirão Preto começou a jogar e ver espaços na defesa e chegou a pressionar nos minutos finais.

Assustados com a audácia do rival, os palmeirenses viveram alguns minutos de tensão e pareceram torcer para acabar a primeira etapa e, assim, colocar a cabeça no lugar. Sua parte, Eduardo Baptista fez. No intervalo, ele colocou Alecsandro no lugar de Willian, para tentar aproveitar melhor a referência na área e apostou em Michel Bastos na vaga de Raphael Veiga.

Com as mudanças, o time perdeu um pouco em velocidade, mas ganhou na qualidade do toque de bola e finalização. Mas, em meio a tantos estreantes e reforços, quem fez a diferença foi um velho conhecido do torcedor palmeirense.

Logo no primeiro minuto do segundo tempo, Tchê Tchê recebeu na direita, cortou para o meio, deixou três para trás e acertou um chute rasteiro. Neneca tentou chegar na bola, sem sucesso. Enfim, o Palmeiras abriu o placar e tirou o peso das costas.

Mas isso não significou paz para os palmeirenses. Os problemas da primeira voltaram com o agravante de que o time alviverde começou a sentir o cansaço de uma equipe em início de temporada contra outro que está se preparando desde o ano passado.

Apostando principalmente nos chutes de fora da área, o Botafogo mostrou uma coragem até surpreendente, tendo em vista que encarava o badalado Palmeiras, em casa. Aos 12, um susto. Prass rebateu para o meio da área um forte chute de longa distância e a sua sorte é que Marcão estava impedido no momento em que mandou para as redes.

Para garantir o resultado, o Palmeiras tentou colocar a bola no chão nos minutos finais e passou a jogar mais recuado, deixando o adversário tocar e apostando nos erros individuais. Nos minutos finais, Michel Bastos ainda teve uma chance em chute forte, desviado por Neneca. No fim, deu certo e o Palmeiras conseguiu vencer em sua estreia no Paulista.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 1 X 0 BOTAFOGO-SP

PALMEIRAS (4-5-1): Fernando Prass; Jean, Edu Dracena, Vitor Hugo e Zé Roberto; Felipe Melo, Tchê Tchê (Thiago Santos), Róger Guedes, Raphael Veiga (Michel Bastos) e Dudu; Willian (Alecsandro). Técnico: Eduardo Baptista.

BOTAFOGO (4-4-2): Neneca; Samuel Santos, Gualberto, Matheus Mancini e Fernandinho; Marcão Silva, Bileu, Diego Pituca (Bernardo) e Rafael Bastos (Vitinho); Serginho (Wesley) e Marcão. Técnico: Moacir Júnior.

Gol: Tchê Tchê, a 1 minuto do 2º Tempo.

Juiz: Flávio Rodrigues de Souza.

Cartões amarelos: Matheus Mancini, Tchê Tchê, Samuel, Diego Pituca, Rafael Bastos.

Público: 24.992  pagantes.

Renda: R$ 1.473.094,47.

Local: Allianz Parque, em São Paulo.

Mais conteúdo sobre:
futebol Palmeiras Campeonato Paulista

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.