Divulgação
Divulgação

Tchê Tchê minimiza jejum de sete jogos de Gabriel Jesus

Para meia, camisa 33 intimida os adversários, mesmo sem marcar gols

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

02 de novembro de 2016 | 13h45

Os sete jogos sem marcar de Gabriel Jesus não preocuparam o meia Tchê Tchê, um dos mais importantes do elenco do Palmeiras. Em entrevista coletiva nesta quarta-feira, o jogado que mais atuou com o técnico Cuca no Campeonato Brasileiro (32 dos 33 jogos) afirma que ele vem contribuindo de outras maneiras.

“Ele tem uma importância grande, até por ser o camisa 9 da seleção brasileira. Com a idade e a maturidade, o jeito que ele se comporta em campo, é um jovem que tem muito foco, consegue estar bem concentrado e nos ajuda muito, independentemente de estar fazendo gols ou não. O Gabriel cria uma dificuldade grande, intimida os adversários”, afirmou o jogador no CT da Barra Funda.

O último gol marcado por Gabriel Jesus foi no dia 14 de setembro, no empate por 1 a 1, contra o Flamengo. Paralelamente ao jejum de gols, Gabriel Jesus vem enfrentando problemas disciplinares. Na partida contra o Santos, ele recebeu seu 10º cartão amarelo. “Grandes atacantes passam por fase de não fazer gols em alguns períodos. Ele está trabalhando firme. Tenho certeza de que vai nos ajudar. Se não com gols, vai continuar correndo como sempre e nos ajuda”, afirmou.

Tchê Tchê afirmou que Cuca ainda não definiu o substituto de Moisés, suspenso pelo terceiro cartão amarelo. As principais opções são Thiago Santos, Cleiton Xavier e Allione. “Não sei, de verdade (quem será o substituto). Às vezes o Cuca cria um enigma até para os jogadores. Às vezes treina uma coisa e chega na hora e muda. Quem entrar vai dar conta do recado”, disse o palmeirense.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.