Abcdigipress
Abcdigipress

Tcheco deixa a 10 de lado para jogar bem no Corinthians

'A dez [camisa] foi um problema. Dá a impressão daquele jogador magistral, e eu tenho um perfil diferente'

Vítor Marques, Jornal da Tarde

16 de fevereiro de 2010 | 22h50

Quando Tcheco foi contratado, Mano Menezes viu em seu ex-jogador do Grêmio o camisa dez que o Corinthians procurava para o ano do centenário. Mas nesta quarta, contra o Mogi, o meia usará mais uma vez a oito. E ele não vê demérito nisso.

Veja também:

linkCorinthians treina em Jaguariúna para fugir do trânsito

linkBoliviano apitará estreia do Corinthians na Libertadores

PAULISTÃO - lista RESULTADOS / tabelaCLASSIFICAÇÃO

"A dez foi um problema. Dá a impressão daquele jogador magistral, da referência, e eu tenho um perfil um pouco diferente, meu posicionamento aqui é outro. Então recebi a 8, não tenho essa vaidade."

A troca da dez pela 8 se deu porque Tcheco foi um dos jogadores mais vaiados pela torcida nos primeiros jogos da temporada. Mano viu nisso um problema e logo trocou a numeração para desviar a atenção da torcida. "Tive um pouco de culpa nisso [nas vaias]", disse o treinador.

No Grêmio, Tcheco era o dez na Libertadores. Dentro de campo, era o líder do time. No Corinthians, ele diz que ainda está em fase de adaptação. "Falta um pouco para eu sentir aquela confiança que tinha no Grêmio. Aos poucos vou me encaixando no time, como já tenho feito nas bolas paradas."

A contratação de Tcheco foi um pedido de Mano Menezes à diretoria. Com ele, o treinador ganha a opção de formar o 4-4-2, com dois meias e dois volantes. Tcheco é o meia pela direita, e Danilo, pela esquerda.

Só há uma coisa que irrita Tcheco: ouvir que foi contratado por ser considerado "homem de confiança" de Mano Menezes. Ele evita falar nisso e dá o assunto como superado. Segundo ele, o mais importante é preparar o time para a Libertadores.

"O time ainda não está pronto, mas estamos bem perto. Faltam poucas coisas para a gente corrigir. Temos de acertar a equipe para o estilo de jogo da Libertadores."

A numeração fixa será adotada a partir da estreia na competição sul-americana, quando Mano fechará a lista dos 25 inscritos. Danilo será o dez. Tcheco concorda com a escolha. "Ele tem essas características de referência, esse perfil de camisa dez, até pela formação tática dentro do time. O Jorge Henrique e o Defederico também."

CARECA, DE NOVO

O novo corte de cabelo de Ronaldo foi a grande atração de um treino formado apenas por jogadores não relacionados para a partida contra o Mogi. O Fenômeno apareceu no Parque São Jorge com a cabeça raspada, visual bem parecido com o da Copa de 2002. Ele pode voltar ao time no jogo de sábado contra o Rio Branco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.