Técnico brasileiro deixa o comando da Costa Rica

Depois de participar de duas Copas do Mundo com a seleção da Costa Rica (2002 e 2006), o técnico brasileiro Alexandre Guimarães pediu demissão do cargo nesta segunda-feira. O treinador alegou que estava enfrentando uma "campanha de desprestígio" e sofrendo ameaças. "A imprensa local está fazendo uma campanha contra minha carreira, por isso decidi renunciar ao contrato de quatro anos que tinha com a Costa Rica. Não vou cobrar nenhuma compensação financeira por isso", contou o técnico brasileiro, que também disse ter gerado com o seu trabalho mais de US$ 6 milhões de lucro para a federação. Na decisão de Guimarães também pesou o fato de o treinador ter recebido algumas ameaças por causa da má campanha na Copa. "A crítica se transformou em violência. Recebi alguns telefonemas nesse sentido. Aliás, quando cheguei ao aeroporto precisei de ajuda policial para não ser agredido". Guimarães, de 46 anos, revelou que ainda não tem propostas para trabalhar em outro lugar. O treinador também contou que sua saída foi bem aceita pela federação. "Jamais esquecerei os bons momentos que passei aqui, assim como a dor pela campanha na Alemanha". A Costa Rica perdeu as três partidas disputadas na Copa do Mundo - 4 a 2 para a Alemanha, 3 a 0 para o Equador e 2 a 1 para a Polônia.

Agencia Estado,

03 Julho 2006 | 16h12

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.