Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Técnico considera pequena a vantagem do Palmeiras na Copa do Brasil

O técnico Marcelo Oliveira considera "pequena" a vantagem que o Palmeiras conquistou ao empatar com o Internacional por 1 a 1, no Beira-Rio, no jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil. Na próxima quarta-feira, a equipe paulista poderá se classificar às semifinais com um empate por 0 a 0 no Allianz Parque. Empate por dois ou mais gols dá a vaga para o Internacional.

GONÇALO JUNIOR, Estadão Conteúdo

24 de setembro de 2015 | 08h52

"É uma vantagenzinha, mas não é nada garantido. O legal é que houve uma reação, o time não se abateu e conseguimos jogar. Foi um jogo equilibrado, um resultado com uma pequena vantagem, que não é definitiva, mas temos de trabalhar muito para o jogo de volta", afirmou o treinador.

As alterações foram importantes para garantir a reação do Palmeiras depois de estar perdendo por 1 a 0, com o gol de Alex marcado para o Inter. A entrada de Rafael Marques no lugar de Arouca foi decisiva para a igualdade. Além disso, Allione e Cristaldo garantiram que o Palmeiras continuasse no ataque mesmo depois do 1 a 1. O treinador afirmou que Rafael Marques, artilheiro do Palmeiras na temporada, agora com 15 gols, entrou motivado apesar de iniciar o duelo no banco de reservas.

"(O jogo) Não deu certo por mágica do treinador. Deu certo porque estimulamos muito o jogador que está fora. O Rafael vinha bem, mas hoje optamos por mais um volante. Mas ele foi para a preleção e para o campo animado. O jogo de futebol é muito emocional e físico também. Usar o banco de reservas é essencial para ganhar o jogo", disse Marcelo Oliveira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.