Shawn Thew/EFE
Shawn Thew/EFE

Técnico croata cobra '1º lugar merecido' e mira 'acerto de contas' com islandeses

Croácia enfrenta a Islândia um ano após confronto entre equipes, nas Eliminatórias

Estadão Conteúdo

25 Junho 2018 | 16h30

O técnico Zlatko Dalic afirmou nesta segunda-feira que o objetivo da Croácia no jogo contra a Islândia, nesta terça-feira, às 15 horas (de Brasília), em Rostov, é manter a liderança do Grupo D da Copa do Mundo. Já classificados, com seis pontos e saldo de cinco gols no momento, os croatas precisam apenas do empate para continuar em primeiro lugar na chave. Mas Dalic quer a vitória.

+ Zagueiro croata vê Modric subvalorizado: 'Se fosse alemão ganharia Bola de Ouro'

+ Croatas celebram momento e exaltam 'melhor dupla de meio-campo da Copa'

"Queremos manter o primeiro lugar que merecemos", disse o treinador em entrevista coletiva concedida nesta segunda-feira no palco do confronto com os islandeses.

Na sexta-feira, ele confirmou que irá poupar cinco titulares que receberam cartões amarelos e estão pendurados, para evitar desfalques nas oitavas de final: Corluka, Rakitic, Mandzukic, Vrsaljko, Rebic e Corluka. A sexta ausência é do meia Brozovic, que cumpre suspensão automática pelo segundo cartão amarelo.

A medida anunciada por Dalic abriu discussão sobre possível combinação de resultados proposital, que prejudicaria a Argentina. Com um ponto, a Islândia precisa vencer bem a Croácia e torcer por empate ou vitória dos argentinos sobre a Nigéria no outro confronto que fechará o Grupo D nesta terça. Também com um ponto, a Argentina tem de ganhar dos nigerianos e torcer por tropeço da Islândia. E a seleção africana, com três pontos, depende só de si para seguir à próxima fase junto com a Croácia.

"Eu sei que na mídia a atenção é dada a isso, mas nós nunca mencionamos isso. Vamos ganhar nossa partida", salientou o técnico croata.

 

Se por um lado existe o debate sobre a chance de a Croácia facilitar as coisas para a Islândia, por outro o jogo é visto como revanche. Há um ano, as duas equipes se enfrentaram pelas Eliminatórias Europeias e os islandeses venceram por 1 a 0, com gol aos 45 minutos do segundo tempo. O resultado quebrou o bom momento dos croatas, que garantiram a classificação à Copa da Rússia apenas na repescagem contra a Grécia.

"Agora é uma boa maneira de acertarmos as contas", disse Dalic. O meia Milan Badelj foi além. "Eles arruinaram nossas férias por causa daquele jogo em junho (de 2017) e ficamos frustrados e desanimados. Queremos compensar aquela derrota."

Sobre as comparações com a seleção croata que chegou às semifinais do Mundial de 1998, na França, o técnico prega cautela. "É difícil comparar as duas gerações porque a maneira de jogar é diferente. Tudo é diferente", disse.

"É verdade que agora temos jogadores com grande potencial. Alguns jogam no Real Madrid, Barcelona ou Juventus, mas isso não significa nada. A geração de 1998 fez um ótimo trabalho e isso fica na minha memória. Todos nós queremos nos aproximar do que eles conseguiram, mas temos que ir passo a passo. Não é fácil para repetir esse resultado", completou Dalic.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.