Saeed Khan|AFP
Saeed Khan|AFP

Técnico da Argentina destaca Neymar e escolhe Brasil como favorito para Copa

Jorge Sampaoli está em Moscou para acompanhar o sorteio dos grupos do Mundial

Jamil Chade, correspondente em Moscou, O Estado de S.Paulo

29 Novembro 2017 | 16h34

Jorge Sampaoli, técnico da Argentina, coloca o Brasil como um dos três favoritos para ganhar a Copa do Mundo, em 2018. O treinador é um dos cinco argentinos que está em Moscou como comandante de uma seleção para o sorteio para o Mundial.

+ Antes de sorteio, Neymar diz que seleção 'está pronta para enfrentar qualquer um'

Mas, em sua avaliação, Brasil, Espanha e França é que merecem destaque. "O jogo associado da Espanha pode ser muito interessante", disse. "Ela não propõe a espera. Mas sai pelo gol e quer o protagonismo em cada jogo", explicou. Já a França é vista por ele como capaz de trazer a campo "grandes individualidades que podem definir um jogo".

Mas é para o Brasil que vão os elogios. "O Brasil tem força em tudo e tem um Neymar espetacular", disse o argentino, que conta ter já comentado com Tite essa situação. "O Brasil pode gerar mais circunstâncias diferentes em um jogo do que a Alemanha, que é uma seleção que tem uma defesa bem colocada, que é difícil entrar", destacou.

Questionado se via alguma limitação no time brasileiro, Sampaoli foi direto: "não vejo muitas".

Sampaoli criou polêmica na semana passada ao destacar a Alemanha entre as favoritas e dizer que não gosta do estilo de jogo do time. Nesta quarta-feira, foi mais diplomático. Mas não retirou seus comentários. "A Alemanha é forte. Mas os demais tem símbolos individuais que podem superá-la", afirmou.

Para ele, a Alemanha manteve um projeto de longo prazo. "Mas hoje não tem símbolos como em épocas anteriores e que poderiam fazer a diferença. Eles fazem um jogo extremamente pragmático e serão muito fortes. Mas eu gosto de outro estilo. Não é que descarto uma seleção que tem tal força mental", explicou.

Questionado sobre a presença de cinco treinadores argentinos entre as 32 seleções que vão para a Copa, Sampaoli fez questão de dizer que é "no Rio da Prata que está o futebol".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.