Josep Lago/AFP
Josep Lago/AFP

Técnico da Argentina expressa temor com contra-ataque do Brasil

Gerardo Martino promete time versátil no ataque e bem posicionado na defesa para o Superclássico das Américas, neste sábado

Raphael Ramos - enviado especial a Pequim, O Estado de S. Paulo

10 de outubro de 2014 | 23h29

Contra a armada que Dunga deve montar na defesa brasileira, o técnico Tata Martino promete uma Argentina bastante versátil para tentar confundir os defensores e, assim, chegar ao gol do Brasil no Superclássico das Américas, neste sábado, em Pequim. A chave do jogo passa pelo desempenho de Messi, e por isso Martino dará liberdade para o craque se posicionar conforme o andamento da partida.

Após o atacante deixar o treino de quinta mais cedo sem dar explicações, Martino confirmou Messi entre os titulares e justificou que, como o jogador realizou treinamento intenso no dia anterior, saiu da atividade antes do fim. Para este sábado, a estratégia é que seu principal jogador não tenha posição fixa.

"Ele pode jogar de 9, como costuma fazer no Barcelona, de ponta, como fez na Copa do Mundo, ou até de extremo direito, como nos primeiros anos de Barcelona", despistou. Outra peça fundamental na engrenagem da equipe que é veloz e se movimenta muito é Di María.


Martino substituiu Alejandro Sabella depois da Copa e estreou em grande estilo, no mês passado. Em Dusseldorf e sem Messi, os argentinos ganharam da Alemanha por 4 a 2. Agora com o craque, o treinador espera confirmar o bom início de trabalho diante do Brasil.

"O Brasil deve ter uma postura de esperar mais para sair nos contra-ataques. É preciso tomar cuidado para não dar espaço ao contragolpe."

Outra preocupação de Martino é com Neymar, com quem trabalhou a temporada passada no Barcelona. "Ele desequilibra e é muito difícil de ser marcado no um contra um. Tem de estar sempre em cima e não dar espaço."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.