John Sibley/Reuters
John Sibley/Reuters

Técnico da Austrália minimiza VAR e diz que França venceu com gol de sorte

Bert van Marwijk elogia desempenho da equipe que perdeu por 2 a 1 após uso do recurso que assinalou pênalti

Estadão Conteúdo

16 Junho 2018 | 12h06

O técnico da Austrália, Bert van Marwijk, gostou do desempenho de sua seleção apesar da derrota por 2 a 1 para a França neste sábado em Kazan, em duelo válido pela primeira rodada do Grupo C da Copa do Mundo.

+ França sofre, mas bate Austrália em jogo com uso de tecnologias

+ LANCES: França x Austrália

+Saiba mais sobre a tecnologia no futebol e o uso do VAR 

"Estou orgulhoso e desapontado. Fizemos uma grande partida. Não posso culpar nenhum jogador, só posso elogiá-los. Criamos muitas situações e houve momentos do jogo que a França não sabia o que fazer. Ao menos merecíamos o empate", afirmou.

Na opinião do treinador, a França chegou aos dois gols de maneira ocasional. "Eles venceram com um com de pênalti que não se pode discutir, marcado pelo VAR, e com um gol de muita sorte. Estou decepcionado, o que é normal. Jogamos 95% como queríamos e não merecíamos sair derrotados", prosseguiu.

Pela primeira vez na história das Copas, um pênalti foi assinalado com o uso da tecnologia. O árbitro de vídeo, denominado VAR, foi consultado quando Griezmann disparou pela esquerda e foi derrubado dentro da área aos 12 minutos do segundo tempo. O próprio atacante bateu e fez.

 

"Todo mundo está falando do VAR, mas isso é só o começo. Temos muito o que aprender com esse sistema e prefiro falar sobre a partida, pois o resultado não se pode mudar", disse o treinador. "No lance do pênalti, de onde eu estava não consegui ver muito bem. Pensei que não tinha sido. O árbitro pareceu não saber o que fazer. É difícil tomar uma decisão diante de 50 mil torcedores", emendou.

A Austrália chegou ao empate em pênalti convertido por Jedinak. E a França fez o segundo e garantiu a vitória com mais um gol que teve auxílio da tecnologia. Após bate-rebate na área, Pogba dividiu com Behich. A bola acertou o travessão, bateu dentro e saiu. O gol foi confirmado por meio do chip que tem dentro da bola.

"Saio confiante dessa partida. Tinha gente que esperava que perderíamos de 5 a 0 viram agora que essa é uma equipe diferente. Demonstramos valentia e demonstramos que podemos ser nós mesmos", finalizou o treinador.

A Austrália volta a campo na próxima quinta-feira, às 9h (de Brasília), quando enfrentará a Dinamarca em Samara. No mesmo dia, a França jogará contra o Peru, às 12h, em Ecaterimburgo.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.