Sergei Karpukhin/Reuters
Sergei Karpukhin/Reuters

Técnico da Bélgica sugere mudar o time inteiro para duelo contra a Inglaterra

Já classificadas, seleções europeias se enfrentam nesta quinta-feira, às 15 horas (de Brasília)

Estadão Conteúdo

25 Junho 2018 | 17h06

Já classificadas com duas vitórias em dois jogos, Inglaterra e Bélgica duelam nesta quinta-feira, às 15 horas (de Brasília), em Kaliningrado, apenas para definir a primeira e a segunda colocações do Grupo G da Copa do Mundo da Rússia. Para evitar perder jogadores por contusão ou cartão, o técnico da seleção belga, o espanhol Roberto Martínez, afirmou nesta segunda-feira que mudar o time inteiro e colocar todos os reservas "é uma opção" que está sendo estudada.

+ Após marcar dois em goleada belga, artilheiro Lukaku mostra preocupação com lesão

+ Southgate exalta fase da Inglaterra, mas lembra histórico ruim e pede 'humildade'

"Seria muito arriscado e uma verdadeira aposta qualquer um dos jogadores que tem cartão amarelo atuar contra a Inglaterra", disse o treinador. Os pendurados na Bélgica são o zagueiro Jan Vertonghen, o lateral-direito Thomas Meunier e o meia Kevin De Bruyne.

"Estamos nos preparando para duas partidas, não apenas para esta contra a Inglaterra. O primeiro objetivo era a classificação e ele foi alcançado. Agora, montaremos um time pensando nos jogadores que têm cartões e no estado físico de alguns deles. E a chance é boa para dar minutos de jogo aos meninos. Então, mudar toda a equipe é uma opção", justificou Roberto Martínez.

No aspecto físico, as principais preocupações são com o atacante Romelu Lukaku, que ainda se recupera de pequena pancada no tornozelo, e o meia Eden Hazard, com uma pontada na panturrilha.

Nesta segunda-feira, treinaram apenas os jogadores que não atuaram na vitória por 5 a 2 diante da Tunísia, no último sábado. Os defensores Vincent Kompany e Thomas Vermaelen, que retornam de lesão, também estiveram na atividade, mas ainda será avaliada a participação deles contra os ingleses.

 

Sobre uma possível quebra de ritmo da equipe titular, caso escolha os reservas para jogar, o treinador minimizou. "A dificuldade que temos na Bélgica é que temos muitos jogadores que merecem ganhar a Copa do Mundo", frisou. "Qualquer um poderia jogar. Se for esse o caso, eles precisam estar prontos. Precisamos criar impulso no time".

Roberto Martínez negou que poderia preferir perder para terminar segundo no grupo, potencialmente evitando uma rota contra Brasil ou Alemanha nas quartas de final. "Em todos os jogos queremos vencer", desconversou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.