Técnico da Coréia acha que time pagou por sua ofensividade

"Começamos a partida com quatro atacantes e essa estratégia era muito arriscada", afirmou o holandês Dick Advocaat, técnico da Coréia do Sul, que perdeu por 2 a 0 para a Suíça, nesta sexta-feira, em Hannover, e deu adeus ao Mundial. "Era um risco que escolhemos correr, mas eles (os suíços) aproveitaram-se da situação e encaixaram bons contra-ataques". Um empate poderia classificar os coreanos, mas sem gols, a coréia corria o risco de ter sua vaga tomada pela França. No segundo tempo, quando os asiáticos já perdiam por 1 a 0, Advocaat colocou mais um atacante em campo. "Eles dominaram o primeiro tempo, mas no segundo fizemos muita pressão com os cinco atacantes. Pena que não conseguimos fazer os gols que precisávamos mesmo apostando na ofensividade", lementou o treinador. O atacante Lee Sun-Choo reclamou muito da arbitragem do argentino Horácio Elizondo, que acertadamente não marcou um impedimento no lance do segundo gol suíço, pois um zagueiro coreano deu um passe para trás interceptado pelo atacante Frei, o que descaracterizou a infração."Jogamos com muita vontade e não merecíamos a derrota. O segundo gol foi um absurdo", concluiu revoltado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.