J M Lopez/ AP
J M Lopez/ AP

Técnico da Costa Rica briga e troca socos em jogo sub-23 no Panamá

Após confusão, Paulo Wanchope entrega o cargo na seleção

Estadão Conteúdo

12 de agosto de 2015 | 10h57

O atual técnico da seleção principal costarriquenha, o ex-jogador Paulo Wanchope, protagonizou uma briga nas arquibancadas ao final de uma partida equipe entre as equipes sub-23 da Costa Rica e do Panamá na noite de terça-feira.

O incidente ocorreu no Estádio Maracanã da capital do Panamá após o empate sem gols entre as seleções em duelo classificatório para torneio pré-olímpico da Concacaf. De acordo com relatos da imprensa local, Wanchope reclamou da arbitragem durante a partida.

Após o apito final, o comandante da Costa Rica, evidentemente irritado, abriu com força um acesso para entrar no campo, mas voltou e iniciou uma briga com um membro da segurança do estádio. Eles se enfrentaram trocando socos, o que provocou a intervenção de um policial, como mostram vídeos divulgados pela imprensa local.

Wanchope entrou depois no campo, mas seguiu em acalorada discussão com pessoas na arquibancada. Para encerrar, teve que sair escoltado com os jogadores até o vestiário.

Considerado um dos principais nomes da história do futebol da Costa Rica, Wanchope assumiu o comando da seleção nacional após a saída do técnico colombiano Jorge Luis Pinto depois da Copa do Mundo de 2014, no Brasil. Ele acompanhava a partida apenas como observador.

FORA DO CARGO

Paulo Wanchope pediu, nesta quarta-feira, demissão do comando da seleção costarriquenha após ter brigado. A Federação Costarriquenha de Futebol disse em um breve comunicado que Wanchope entregou o cargo depois de uma reunião nesta manhã com o comando da entidade, na qual tomou a decisão de "dar um passo ao lado".

"Wanchope se mostrou agradecido com a possibilidade que teve de estar à frente da Tricolor (apelido da seleção costarriquenha), enquanto que os membros da federação lhe agradeceram pelo seu trabalho e desejaram todo o sucesso nos projetos que teremos no futuro", afirma o comunicado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.