Henry Romero/Reuters
Henry Romero/Reuters

Técnico da Costa Rica exalta estratégia que complicou o Brasil: 'Fomos perfeitos'

Óscar Ramírez elogia atuação da seleção contra os brasileiros, apesar de derrota por 2 a 0

Estadão Conteúdo

22 Junho 2018 | 17h14

A Costa Rica segurou o Brasil até os 46 minutos do segundo tempo. Sofreu dois gols nos acréscimos, foi derrotada, nesta sexta-feira, em São Petersburgo, pela segunda vez na Copa do Mundo e não tem mais chances de avançar às oitavas de final. Mas a estratégia adotada pela equipe e a disciplina tática dos jogadores foi elogiada pelo técnico Óscar Ramírez.

+ Brasil desencanta no fim, faz 2 a 0 nos acréscimos e elimina a Costa Rica

+ Autor de pênalti anulado, zagueiro costarriquenho diz que VAR fez 'justiça'

"Fomos perfeitos. Fizemos o melhor que podíamos. Usei as armas que tínhamos à disposição. Peço um pouco de compreensão. Enfrentamos uma equipe com grandes jogadores, a segunda melhor do mundo. Acho que fizemos um bom jogo, contra um time muito vertical. De alguma maneira, conseguimos controlar o Brasil com ou sem a bola. Sabíamos as virtudes do Brasil e como minimizá-las", afirmou o treinador, em entrevista coletiva depois da partida.

O time de Ramírez jogou recuado e complicou a criação de jogados pelo meio-campo brasileiro. E ainda assustou em alguns contra-ataques. Exatamente como fez diante da Sérvia, na estreia, em partida que acabou 1 a 0 para o adversário. "Tivemos um plano, uma estratégia para este jogo, tivemos bastante posse de bola e criamos algumas oportunidades."

 

Com as duas derrotas, os costarriquenhos estão eliminados do Mundial. Farão a terceira partida da primeira fase contra a Suíça, na quarta-feira, apenas para cumprir tabela. A Costa Rica foi para a Copa da Rússia com a expectativa de repetir o bom desempenho de 2014, no Brasil, quando chegou às quartas de final e foi despachada nos pênaltis pela Holanda (após empate por 0 a 0). Deixou o torneio invicta.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.