Franck Fife/AFP
Franck Fife/AFP

Técnico da Croácia critica pênalti, mas reconhece boa atuação da França

Para Zlatko Dalic, 'em uma final de Copa do Mundo, você não pode assinalar um pênalti como aquele'

Gonçalo Junior, enviado especial / Moscou, O Estado de S.Paulo

15 Julho 2018 | 15h58

O técnico da Croácia Zlatko Dalic evitou críticas à arbitragem após a derrota para a França, por 4 a 2, na final da Copa do Mundo neste domingo, mas lamentou a marcação do pênalti que originou o segundo gol da França, marcado por Antoine Griezmann, que só foi validado com a interferência do VAR (árbitro de vídeo, na sigla em inglês). Inicialmente, ele disse que aquilo tipo de pênalti não deveria ser marcado, depois amenizou as críticas.

+ Modric é eleito o melhor jogador da Copa do Mundo; Mbappé é a revelação

+ Mbappé iguala Pelé e se torna o 2º com menos de 20 anos a marcar em final de Copa

"Em uma final de Copa do Mundo, você não pode assinalar um pênalti como aquele", afirmou em sua primeira resposta sobre o tema. "Eu respeito o árbitro. Não estou falando nada negativo sobre ele. O VAR é bom para o futebol", afirmou o vice-campeão do mundo, em seu segundo comentário sobre o mesmo tema.

Dalic afirmou está orgulhoso sobre o desempenho do time e elogiou a campeã França. "Nós jogamos bem, controlamos o jogo. Depois do quarto gol, a situação ficou bastante difícil diante de um rival forte como a França. Não conseguimos nos recuperar depois do quarto gol."

Contratado de maneira emergencial no final das Eliminatórias, Dalic conseguiu a classificação para a Copa e alcançou o melhor resultado da história do futebol croata - em 1998, o time ficou em terceiro lugar. Apesar da grande campanha, ele evitou falar sobre permanência no cargo de técnico para as próximas competições.

 

"Tivemos dois meses de trabalho difícil e foi uma experiência maravilhosa. Terminamos em segundo lugar. Não é hora de tomar decisões. Não estava pensando na Copa e agora penso em descansar", afirmou o treinador.

Nos últimos dias, Dalic usou a atenção que atraiu por ser um dos técnicos finalistas da Copa do Mundo para falar sobre os problemas do futebol croata. Neste domingo, ele deixou uma mensagem para as pequenas nações. "Nós temos um ditado que diz: 'pequenos países, grandes sonhos'. Essa é a mensagem. Precisamos ter um sonho e uma ambição. Se trabalhamos duro, um dia ele pode se realizar."

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.