Efrem Lukatsky/AP
Efrem Lukatsky/AP

Técnico da Croácia já pensa em Modric como melhor da Copa do Mundo

Croatas enfrentam a Dinamarca neste domingo, às 15 horas (de Brasília), pelas oitavas de final

Estadão Conteúdo

30 Junho 2018 | 15h42

A Croácia é uma das surpresas desta Copa do Mundo e chega para as oitavas de final com uma das melhores campanhas da primeira fase. O maestro desta campanha foi o meia Luka Modric, do Real Madrid, um dos destaques da competição. Por isso, o técnico Zlatko Dalic já sonha com seu comandado sendo nomeado o melhor jogador do torneio.

+ Modric celebra fase da Croácia, mas avisa: 'Temos que esquecer a fase de grupos'

+ Técnico promete mudar a estratégia da Dinamarca: 'Vocês vão ver um time diferente'

"Não vai ser o Messi", disse, citando o vencedor do prêmio em 2014, diante da eliminação da Argentina para a França. "O Modric faz os companheiros jogarem melhor. Eu seria o homem mais feliz do mundo se fosse ele, porque significaria que a Croácia fez algo significativo."

O próprio Dalic, no entanto, opinou que Modric não levaria o país a esta campanha sozinho e fez questão de exaltar seus outros jogadores. "Ninguém aqui é um jogador de videogame que comanda uma equipe sozinho manuseando um controle", brincou.

A alegria do treinador com a campanha croata ficou evidente em seus comentários, mesmo com toda a segunda fase ainda por jogar. "Independente do que vier a seguir, estes são os melhores dias da minha carreira, não importa qual seja o resultado amanhã", apontou.

 

Mas Dalic está confiante sobre as chances de sua equipe de avançar no Mundial. Para isso, terá que derrotar a Dinamarca neste domingo, pelas oitavas de final, em Nijni Novgorod. E o treinador deu a receita que acredita ser necessária para que a seleção confirme o favoritismo no confronto.

"Nós não podemos correr. Precisamos ser pacientes e esperar pela nossa chance. Tudo vai depender de nós mesmos. A gente precisa jogar de forma inteligente, as emoções precisam nos guiar, mas a cabeça precisa estar fria, forte. Precisamos ser muito cuidadosos. Eu sou um grande otimista, acredito infinitamente neste time", afirmou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.