AFP/Patrick Hertzog
AFP/Patrick Hertzog

Técnico da Croácia mostra alívio por quebra de tabu na Copa do Mundo após 20 anos

Croatas tinham vencido partida inaugural em Mundial pela última vez em 1998

Estadão Conteúdo

16 Junho 2018 | 20h34

Em sua quinta participação em Mundiais, a Croácia quebrou um tabu que já durava 20 anos ao vencer a Nigéria por 2 a 0 neste sábado, em Kaliningrado, na estreia da Copa do Mundo da Rússia. A seleção europeia não vencia um jogo inicial de Copa desde 1998, na França.

+ Modric celebra gol em vitória e prevê evolução da Croácia na sequência da Copa

+ Técnico da Nigéria se diz frustrado com derrota: 'Estamos aprendendo'

Nesse período, os croatas foram superados nas partidas inaugurais em 2002, 2006 e 2014, sendo que as duas últimas derrotas foram para o Brasil. Diante dessa marca negativa, o triunfo sobre os nigerianos gerou alívio ao técnico Zlatko Dalic.

"Infelizmente havia virado uma tradição perder na estreia de grandes torneios, como Eurocopa e a Copa do Mundo. Estamos aliviados, mas ainda tem muito trabalho a ser feito. Claro, é muito importante que essa sequência negativa de derrotas em estreias foi quebrada", disse o treinador, que ponderou na sequência. "Estamos felizes com isso, mas não podemos relaxar. É apenas o primeiro passo".

O comandante croata elogiou o rival africano e valorizou o triunfo em Kaliningrado. "Parabéns ao time pela vitória. Foi uma partida difícil contra um excelente oponente. Fomos muito disciplinados e executamos muito bem o plano de jogo. Merecemos vencer", afirmou.

 

Além dos jogadores, em especial Mario Mandzukic, que participou do primeiro gol, e Luka Modric, que fechou a fatura em cobrança de pênalti, outro fator foi importante para o resultado positivo: a torcida. Pouco mais de 6 mil torcedores estiveram no estádio apoiando a seleção europeia.

"A atmosfera era como se estivéssemos em casa. Não esperava tantos torcedores. Sabíamos que viriam para nos apoiar, mas não imaginava nessa quantidade. Meus agradecimentos a eles, que vêm de todos lugares do mundo. Nós jogamos por eles", disse Zlatko Dalic.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.