Yuri Cortez/AFP
Yuri Cortez/AFP

Técnico da Dinamarca minimiza críticas após empate: 'Não podemos ser estúpidos'

Age Hareide vê 0 a 0 contra a França como mérito de sua equipe por não ter saído derrotada diante do rival

Glauco de Pierri, enviado especial / Moscou, O Estado de S.Paulo

26 Junho 2018 | 14h38

O técnico da Dinamarca, Age Hareide, gostou do que viu em sua equipe no empate sem gols com a França, nesta terça-feira, no estádio Luzhniki, em Moscou. Depois da partida, ele estava muito safisfeito com o rendimento defensivo de seus jogadores e fez questão de elogiar o desempenho. "Atuamos compactos, não demos espaços. Estou feliz", afirmou.

+ Técnico sul-coreano admite superioridade da Alemanha, mas crê em triunfo e vaga

+ Cahill atua por menos de 45 minutos e perde chance de marcar pela 4ª Copa seguida

+ Técnico da Suíça diz que comemorações polêmicas ficaram no passado: 'Só futebol'

Hareide não se importou muito com o fato de o jogo ter sido "um dos piores" da Copa, como disse um jornalista da Georgia, que em sua pergunta ainda lembrou o técnico que boa parte dos mais de 78 mil torcedores vaiaram muito as duas equipe na parte final do jogo - alguns foram até embora do estádio.

"Nós jogamos contra uma equipe que tem um dos melhores contra-ataques do mundo. Nós não podemos ser estúpidos. Precisávamos de um ponto e conseguimos. Nos defendemos muito bem", disse. "Eu tenho um grupo muito bom. Eu acredito em todos aqui. No futebol, às vezes você precisa tirar um jogador para colocar o outro, são diferentes estilos. Mexemos algumas coisas em relação ao jogo anterior e a performance foi boa. Acho que estamos prontos para o próximo estágio", complementou.

O treinador disse ainda que sabe que nas oitavas de final, um empate pode significar a disputa de pênaltis. "Sabemos que seja quem for o adversário, Croácia ou outro, vamos precisar de muita organização em campo e disciplina tática, como apresentamos hoje. Mas vamos esperar e ver. Estou muito satisfeito com o rendimento do nosso time."

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.