Técnico da Eslováquia diz que Holanda mereceu ganhar

O comandante da seleção eslovaca, Vladimir Weiss, destacou nesta segunda-feira, após a derrota de sua equipe por 2 a 1 para o time holandês, pelas oitavas de final da Copa do Mundo da África do Sul, que a Eslováquia foi eliminado por conta dos erros cometidos pelos seus atacantes no momento das finalizações. Destacou, ainda, que o árbitro da partida prejudicou seu elenco.

AE/AP, Agência Estado

28 de junho de 2010 | 15h22

"Quero parabenizar meu adversário (Holanda) porque mereceu a vitória, embora tenhamos tido nossas chances ao longo do jogo. Especialmente a de Robert Vittek, me lembro dela agora, que teria empatado o jogo em 1 a 1", lembrou o treinador.

Weiss acrescentou ainda que seu time perdeu para uma excelente equipe. "Perdemos para uma grande equipe, com experiência, bom futebol e com jogadores de alto nível. Acho que podemos ficar felizes com nosso papel aqui (no Mundial). A melhor equipe passou às quartas de final", ressaltou.

Sobre a atuação de seu algoz - o atacante Robben que marcou o primeiro gol da Holanda -, que atua no Bayern de Munique, Weiss asseverou que preparou os defensores eslovacos para marcá-lo, mas o atleta é um gênio. "Robben é um jogador determinante. Sua equipe é 50% mais poderosa com ele", afirmou o técnico.

"Estamos eliminados e é difícil ficar feliz agora, mas estamos orgulhosos de nosso papel. Meus jogadores, no entanto, não estiveram em sua melhor forma. Sentiram a responsabilidade", analisou Weiss.

A respeito da arbitragem, o comandante eslovaco fez questão de dizer que a atuação do juiz espanhol Alberto Undiano também interferiu no resultado do confronto entre o seu time e a seleção da Holanda. "O juiz tem responsabilidade sobre o resultado".

Weiss assinalou ainda que a arbitragem não está bem nesta fase de oitavas de final. "Os juízes estiveram bem na fase de grupos, porém nesta fase (oitavas) estão muito pressionados. Os erros são humanos e respeito, mas a tecnologia poderia ajuda-los, concluiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.