Técnico da Grécia lamenta ineficácia no contra-ataque

Para Fernando Santos, o time japonês deveria ter contra-atacado mais, além de ter feito finalizações de melhor qualidade

Felipe Corazza, Agência Estado

19 de junho de 2014 | 21h32

A seleção da Grécia não tem muito a comemorar pelo empate em 0 a 0 contra o Japão, na Arena das Dunas, em Natal, nesta quinta-feira. O único alento dos gregos foi ter conseguido impor uma resistência ao domínio dos japoneses em termos de posse de bola. "Meus jogadores foram enormes em termos defensivos. No aspecto do contra-ataque, faltou um pouco", avaliou o técnico Fernando Santos após a partida.

O treinador português dividiu o jogo em "antes e depois" da expulsão do capitão Katsouranis, ainda no primeiro tempo. Até perder o jogador, segundo Fernando Santos, o time "criou algumas situações em que faltou haver finalização de maior qualidade".

O lado direito foi um dos grandes problemas para o treinador. "O Japão criou algumas dificuldades, mas sem criar situações claras de gols". A expulsão de Katsouranis, no entanto, "abriu um novo capítulo no jogo", colocando os gregos ainda mais na defensiva.

A Grécia enfrentará a Costa do Marfim na terça-feira, em Fortaleza. Vai ser um jogo "decisivo para três equipes" do grupo, como salientou o técnico da Grécia. Os gregos dependem de uma vitória e de um empate ou vitória da Colômbia contra o Japão, que também jogam na terça.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.