Técnico da Inglaterra se desculpa após suposto racismo

O técnico da seleção inglesa, Roy Hodgson teve que pedir desculpas nesta quinta-feira e explicar um mal entendido por conta de uma suposta instrução racista que ele teria passado a um de seus jogadores na vitória da Inglaterra sobre a Polônia, terça-feira, em Wembley. Ainda que todos neguem o racismo, o treinador fez questão de se desculpar.

AE-AP, Agência Estado

17 de outubro de 2013 | 09h57

No intervalo da partida, Hodgson pediu a Chris Smalling para que "alimentasse o macaco", passando a instrução de que mais bolas deveriam chegar ao atacante Andros Townsend, que é negro. Um jogador, não revelado, teria interpretado que o treinador usou o termo como ofensa racista e revelou o caso aos tabloides ingleses. A polêmica logo foi levantada.

A expressão, porém, faz referência às primeiras investidas de astronautas no espaço. Como as primeiras incursões espaciais levavam apenas macacos, criou-se o mito de que, certa vez um astronauta questionou a Nasa sobre o que deveria fazer. E a instrução foi "alimente o macaco".

Hodgson alega que fez uso dessa expressão para pedir que os jogadores da Inglaterra servissem Townsend, protagonista do ataque inglês naquele jogo. Mas nem todo mundo entendeu assim e o treinador teve que pedir desculpas.

"Eu gostaria de pedir desculpas no caso de qualquer ofensa tenha sido causada pelo que eu disse no intervalo. Não houve nenhuma intenção da minha parte em dizer nada inapropriado. Eu deixei isso claro para Andros Townsend no vestiário. Novamente falei com ele na quarta-feira. Ele assegurou a mim e à FA (federação inglesa) que não se sentiu ofendido e entendeu a minha intenção", disse Hodgson, em nota.

Townsend confirmou a versão, nesta quinta-feira, pelo Twitter. "Eu não entendi para que essa polêmica. Nenhuma ofensa foi dita! Não existe notícia!", escreveu ele. Já Wayne Rooney foi mais longe e disse que a polêmica é "ridícula".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolInglaterraracismo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.