AFP
AFP

Técnico da Itália, Conte é absolvido da acusação de manipular resultados

Comandante foi julgado pela época em que treinava o Siena

Estadão Conteúdo

16 de maio de 2016 | 11h04

O técnico Antonio Conte foi absolvido nesta segunda-feira da acusação de envolvimento em um escândalo de manipulação de resultados quando ainda treinava o Siena, na temporada 2010/2011. Após um rápido julgamento na cidade de Cremona, o comandante da seleção italiana foi considerado inocente.

O promotor local Roberto Di Martino chegou a pedir seis meses de prisão, com suspensão do cumprimento da pena, e o pagamento de uma multa de 8 mil euros ao treinador. Vale lembrar que Conte já foi punido na esfera esportiva e ficou quatro meses afastado dos gramados na temporada 2012/2013, quando comandava a Juventus.

O treinador pediu o adiantamento do julgamento para que a decisão acontecesse antes do início da Eurocopa do mês que vem. Com a decisão a seu favor, Conte fica livre para comandar a seleção italiana no torneio que acontecerá na França.

"Eu fiquei sabendo, com muita alegria, da absolvição de Antonio Conte pelo tribunal de Cremona hoje", comemorou o presidente da Federação Italiana de Futebol (FIGC), Carlo Tavecchio. "Finalmente, sua posição foi esclarecida. Minha fé nele nunca esteve em questão. Agora, estamos ainda mais focados na Eurocopa."

Conte era acusado de fraude esportiva. Ele teria participado de um esquema que beneficiaria o Siena na temporada 2010/2011, na vitória por 1 a 0 sobre o Albinoleffe pela segunda divisão do Italiano. Outra partida, o empate por 2 a 2 contra o Novara, também chegou a ser investigada, mas foi retirada do inquérito.

A suspensão aplicada a Conte em 2012/2013 foi justificada com a alegação de que o treinador falhou ao não reportar à Justiça a manipulação do resultado daquela partida. Assistente de Conte, Angelo Alessio também foi acusado e poderia ser condenado a quatro meses de prisão, com suspensão do cumprimento da pena, mas foi absolvido.

Quem também pôde comemorar a absolvição de Conte foi o Chelsea, que contratou o treinador para a próxima temporada. "Era o resultado que estávamos esperando", disse o advogado do treinador, Leonardo Cammarata. "Foram anos de tensão e também de desapontamento, mas agora a verdade foi estabelecida."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.