REUTERS/Giorgio Perottino
REUTERS/Giorgio Perottino

Técnico da Juventus minimiza jejum de Higuaín antes de reencontro com o Napoli

Atacante movimentou o último mercado de transferências italiano ao ir jogar em Turim por R$ 310 milhões

Estadão Conteúdo

28 Outubro 2016 | 13h19

O técnico da Juventus, Massimiliano Allegri, saiu em defesa nesta sexta-feira do atacante Gonzalo Higuaín ao declarar que o atacante argentino não precisa fazer gols em todas as partidas. Nesse momento, o jogador enfrenta um jejum de quatro jogos sem ir às redes.

Higuaín foi adquirido pela Juventus na última janela de transferências por 90 milhões de euros (aproximadamente R$ 310 milhões, na cotação atual), um valor recorde para o futebol italiano, junto ao Napoli. E neste sábado, o atacante argentino vai se reencontrar com o seu ex-clube, em duelo válido pela 11ª rodada do Campeonato Italiano.

"Ele já marcou sete gols e na Juve há outros jogadores que também marcam. Estou muito satisfeito com o que ele está fazendo, mesmo sem a bola", disse Allegri sobre o argentino, que na última temporada bateu um recorde de artilharia de 66 anos no Campeonato Italiano ao marcar 36 gols.

Até agora, Higuaín tem sete gols marcados em 13 partidas disputadas pela Juventus. "Não estamos interessados em ver Higuaín marcar todos os domingos. Estamos interessados em ir avançando em todas as competições", completou.

Allegri também tentou tirar o peso do confronto com o Napoli ao afirmar que o duelo da próxima quarta-feira com o Lyon, pela Liga dos Campeões da Europa, é mais importante - o time de Turim é o líder com 24 pontos, enquanto o adversário ocupa a terceira posição, com 20. "Sendo apenas o 11º jogo da temporada, o resultado de amanhã à noite não vai decidir o destino do scudetto", afirmou.

"O que a última temporada mostrou é que você precisa ser consistente ao longo das 38 partidas e garantir que você ainda tem muito no tanque em março, quando chegam os momentos verdadeiramente cruciais", acrescentou o técnico da Juventus.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.