Armando Franca/AP
Armando Franca/AP

Técnico da Nigéria é acusado de racismo contra belga

Stephen Keshi diz que Tom Saintfiet 'é um cara branco que deve voltar para a Bélgica'

AE-AP, Agência Estado

28 de agosto de 2013 | 11h57

ZURIQUE - A Fifa recebeu uma denúncia de racismo contra o técnico da seleção nigeriana, Stephen Keshi, depois que ele descreveu um outro treinador "como um cara branco" que não sabia nada sobre a África e que deveria voltar para sua Bélgica natal. A entidade não quis fazer mais comentários nesta quarta-feira e só disse que tinha recebido a queixa contra Keshi, que comandou a Nigéria na conquista da Copa Africana de Nações neste ano.

O treinador da seleção de Malavi, Tom Saintfiet, disse que a Associação de Futebol do Malavi reclamou dos comentários feitos por Keshi em um programa de TV, onde Keshi disse que Saintfiet era "louco" por sugerir que a cidade de Calabar, no sul da Nigéria, era insegura para sediar o jogo entre as seleções dos dois países no próximo mês pelas Eliminatórias Africanas para a Copa do Mundo de 2014. Keshi declarou que o belga "não é uma pessoa africana, ele é um cara branco. Ele deve voltar para a Bélgica".

Saintfiet afirmou que se a luta da Fifa contra o racismo é séria, ela tem que ser "levada a sério em ambas as direções". "Se um europeu disser algo desta natureza sobre um africano, você teria um problema enorme. Sou contra o racismo em todas as direções", disse o técnico à BBC.

A Fifa endureceu suas punições por racismo em seu congresso anual, realizado nas Ilhas Maurício em maio, após incidentes na Inglaterra e na Itália, onde os jogadores negros eram alvo, mas um treinador branco acusando um técnico negro de racismo é raro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.