Georgi Licovski/EFE
Georgi Licovski/EFE

Técnico da Nigéria quer aproveitar problemas da Argentina para se classificar

Gernot Rohr vê equipe nigeriana "psicologicamente bem" e pede concentração desde o início

Gonçalo Junior, enviado especial / Moscou, O Estado de S.Paulo

25 Junho 2018 | 15h42

O técnico da Nigéria, Gernot Rohr, pretende se aproveitar da instabilidade emocional dos argentinos nesta terça-feira em São Petersburgo para avançar à próxima fase da Copa do Mundo. De acordo com o resultado da outra partida do grupo, entre Islândia e Croácia, um empate será suficiente para os nigerianos se classificarem às oitavas de final.

+ Sampaoli esconde escalação, mas promete 'nova história' contra a Nigéria

+ Mikel tem fratura e vira dúvida na Nigéria para confronto diante da Argentina

+ Grandes seleções jogam mata-mata antecipado na fase de grupos

"Estamos psicologicamente bem. A Argentina tem alguns problemas, dúvidas, e esperamos tirar vantagem dessa situação, logo no começo do jogo. Sei da qualidade deles, que é muito grande, que não será fácil para o meu jovem time. A Argentina é Top 10, e nós somos número 48", afirmou, se referindo ao ranking da Fifa.

Rohr espera que a Nigéria comece "ligada" desde o início. O time teve problemas no início dos dois jogos anteriores (Croácia e Islândia). "Espero que o começo do jogo seja melhor do que nas últimas rodadas. Demoramos para entrar no jogo. Estamos numa posição melhor, estamos com um sentimento otimista. Meus jogadores estão com fome", afirmou o treinador.

O retrospecto do confronto é favorável à Argentina. Em cinco confrontos em Copas do Mundo, a Argentina venceu todos. No último jogo, no entanto, um amistoso em novembro do ano passado, a Nigéria venceu por 4 a 2. "Podem esperar muita luta da Nigéria. Será uma batalha contra a Argentina. Eles têm que vencer, talvez um empate para nós baste. Mas também queremos ganhar. Pode ser um jogo espetacular amanhã", disse o treinador alemão.

 

O meia Obi Mikel treinou normalmente nesta segunda-feira e deve jogar. Ele sofreu uma fratura na mão esquerda no fim do jogo contra a Islândia. Agora, o jogador depende de um aval da comissão de arbitragem da Fifa para usar uma proteção na mão.

"Nosso capitão teve uma fratura no metatarso da mão esquerda, é uma fratura pequena, mas ele tem que jogar com uma proteção. Acho que pode jogar com isso, mas temos que checar com a arbitragem. É plástico. Ele não está com muita dor e acho que estará pronto para esse jogo", afirmou o treinador.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.