Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90
Kirill Kudryavtsev/AFP
Kirill Kudryavtsev/AFP

Técnico da Polônia celebra grupo sem 'potências mundiais' após sorteio

A seleção de Adam Nawalka terá pela frente Senegal, Colômbia e Japão na primeira fase

Estadão Conteúdo

01 de dezembro de 2017 | 15h30

Depois de duas edições de ausência, a Polônia retornará à Copa do Mundo como cabeça de chave na Rússia. Mesmo assim, havia o temor por confrontos diante de potências do futebol, como Espanha e Inglaterra, mas o sorteio dos grupos realizado nesta sexta-feira, em Moscou, tranquilizou o país. Afinal, os rivais poloneses serão Colômbia, Senegal e Japão.

Brasil enfrenta a Suíça, Costa Rica e Sérvia na fase de grupos

Argentina pegará a Islândia, Croácia e Nigéria na Copa

Alemanha cai em grupo da morte na busca pelo penta mundial

Cristiano Ronaldo iniciará caminho contra algoz velho conhecido

Baixe a tabela da primeira fase da Copa do Mundo 

"Eu acho que o sorteio foi bom. Nós estávamos preparados para jogar com potências mundiais, mas isso não aconteceu. No mais, temos que estar determinados e bem preparados para todos os elementos, em termos físicos, táticos e mentais. Todos esses componentes são extremamente importantes na Copa do Mundo", considerou o técnico da Polônia, Adam Nawalka.

A estreia será no dia 19 de junho, diante de Senegal, em Moscou. A segunda partida polonesa acontecerá cinco dias depois, diante da Colômbia, em Kazan. E por fim, a seleção terá pela frente o Japão, no dia 28. Por mais que não haja um adversário de peso, a ordem na Polônia é ter "humildade".

"Nós vamos encarar nossos rivais com muita humildade e respeito, mas acreditamos em nós mesmos e nas nossas habilidades. Nós temos que mostrar isso e provar no campo. Vamos jogar com times muito fortes em seus continentes, que não tiveram muitos problemas para se garantirem na Copa. São adversários perigosos, mas confio nos meus jogadores", completou Nawalka.

Avaliação parecida foi dada pelo técnico do Japão, Vahid Halilhodzic. Com o país no pote 4 do sorteio, havia o temor de um grupo com as principais forças do futebol mundial. Portanto, o resultado final foi bastante comemorado pelo comandante bósnio, que esteve na Copa do Mundo de 2014, no Brasil, com a Argélia.

"Havia a possibilidade de estarmos em um grupo mais forte, mas eu não sei exatamente qual é a força do nosso grupo. Cada chave tem suas características. O jogo chave será contra a Colômbia. Contra Senegal, será importante, um duelo bastante físico. E contra a Polônia, vamos enfrentar o Lewandowski, um dos melhores centroavantes do mundo", analisou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.