Peter Cziborra / Reuters
Peter Cziborra / Reuters

Técnico da seleção de Senegal, Cissé diz que time precisa construir nova história

Entretanto, Aliou Cissé diz que time tem que ter algumas características do time de 2002, que chegou até as quartas de final

Estadão Conteúdo

22 de março de 2018 | 09h56

Atual técnico da seleção de Senegal, Aliou Cissé foi capitão da seleção de Senegal que surpreendeu na Copa de 2002, superando a França na fase de grupos e chegando até as quartas de final do torneio disputado no Japão e na Coreia do Sul. Para 2018, o treinador diz que a equipe atual precisa construir uma história própria, mas admite que há comparações possíveis entre os dois períodos.

+ Com meta surreal, técnico da seleção russa não tem currículo de respeito

+ Veja a evolução de todas as camisas da seleção brasileira de futebol

"Já se passaram 16 anos! E não nos classificamos para a Copa desde então. Desde 2002, muita gente achou que seríamos regulares no torneio, mas não foi o caso. Finalmente, estamos de volta, e lógico que muitas comparações estão sendo feitas com aquela geração. Mas aquele time já criou a parte deles na história, e agora é a vez desse aqui criar a dele", afirmou o técnico em entrevista ao site da FIFA.

Apesar disso, o treinador diz como quer ver o time atuando na Rússia. "Temos uma seleção jovem, com muito talento, mas que não tem experiência no mais alto nível. Nós temos que ir para lá sem um complexo de insegurança, jogar naturalmente e permanecer em nossa identidade africana, que define nosso futebol".

Quando perguntado se o time atuar sem pressão não lembraria o de 16 anos atrás, Cissé citou a campanha da época para confirmar. "Caímos em um grupo com a França, campeã do mundo e da Europa na época, com o Uruguai e a Dinamarca, mas isso não nos impediu de embarcar na aventura. Não nos preocupamos demais com a situação, os outros times ou a maneira como jogávamos, apenas mantivemos o foco e curtimos o momento". Cissé diz que é isso que espera do time atual, que jogue leve, se divirta e aproveite o momento, mas, ao mesmo tempo, tenha uma atitude séria para talvez surpreender novamente.

Sobre o grupo da primeira fase, o treinador considera um grupo equilibrado e difícil, relembra que a Colômbia chegou até as quartas de final no Brasil e que a Polônia é a sétima colocada no ranking da FIFA, e que Senegal precisará aproveitar todas as oportunidades que se apresentarem para avançar.

Senegal está no grupo H da Copa do Mundo, ao lado do Japão, Colômbia e Polônia. Como principais nomes, a seleção senegalesa tem Koulibaly, zagueiro do Napoli, e Sadio Mané, atacante do Liverpool.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.