Técnico da seleção sub-20 lamenta vice, mas diz que ficou 'com sensação boa'

A seleção brasileira sub-20 esteve muito perto de conquistar seu sexto título mundial, mas acabou derrotada na decisão pela Sérvia por 2 a 1, na prorrogação, neste sábado, em Auckland. O resultado, como era de se esperar, deixou jogadores e comissão técnica decepcionados, mas o treinador Rogério Micale preferiu enxergar o lado positivo e exaltar a campanha de seus comandados.

Estadão Conteúdo

20 de junho de 2015 | 10h57

"Eu deixo a Nova Zelândia e este Mundial com boas sensações e bons sentimentos sobre aquilo que fizemos", declarou Micale após a partida. "Nós estamos apenas começando um trabalho com estes jogadores e isso provavelmente vai trazer coisas boas para o Brasil no futuro."

De fato, Micale chegou às vésperas do início da competição, para a vaga do demitido Alexandre Gallo. Sob seu comando, a seleção mostrou um futebol mais ofensivo e fez boa campanha, com direito a goleada por 5 a 0 sobre Senegal nas semifinais e vitórias nos pênaltis contra Uruguai, nas oitavas, e Portugal, nas quartas.

Mas o treinador soube reconhecer o mérito da Sérvia, uma surpresa para muita gente, mas que ele mesmo já havia apontado como time forte. "Se você relembrar a primeira entrevista que eu dei nesse Mundial, fui perguntado sobre o time que poderia surpreender a todos e disse que este time era a Sérvia", comentou.

A decisão deste sábado, no entanto, foi dominada pelo Brasil, que teve as melhores chances e acabou com mais de 60% da posse de bola. A boa atuação foi reconhecida até pelos adversários. "Posso dizer que nós fomos sortudos. Mas a sorte faz parte do jogo e você precisa merecer ser sortudo", avaliou o treinador da Sérvia, Veljko Paunovic.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.