Michael Dalder/Reuters
Michael Dalder/Reuters

Técnico da Suécia diz que seleção é 'fácil de analisar, mas difícil de vencer'

Para o treinador, não há problema se consideram a equipe sueca defensiva e previsível

Estadão Conteúdo

06 Julho 2018 | 08h26

O técnico Janne Andersson mostrou confiança na seleção da Suécia que vai disputar neste sábado uma partida pelas quartas de final da Copa do Mundo, contra a Inglaterra, às 11 horas (de Brasília), em Samara. Para o treinador, não há problema se consideram a equipe sueca defensiva e previsível.

+ Seleção de 2018 aprendeu com os erros da Copa de 2014, avalia Parreira

+ 'Lukaku até manda foto comendo feijoada', diz amigo brasileiro do belga

+ Com volta de Marcelo, Brasil desafia Bélgica para chegar à semifinal

"Nós dizemos que nosso time é fácil de analisar, mas difícil de vencer", afirmou o técnico em coletiva de imprensa realizada nesta sexta-feira, em Samara. "Essa é uma boa definição. Agora, levam a Suécia a sério. Os jogadores são muito leais ao nosso sistema e me deixam orgulhoso", afirmou o treinador, que recolocou os suecos nas quartas de uma Copa pela primeira vez desde 1994.

"Jogamos muitas partidas para chegar até aqui, sempre enfrentamos a pressão e sempre seguimos o mesmo procedimento. Nós não preparamos nada diferente para esse jogo", afirmou o técnico da Suécia, que, por enquanto, não pensa em ser campeão do torneio. "Eu não perco meu tempo com isso, temos uma partida difícil a fazer", afirmou.

Andersson espera um duelo equilibrado contra os ingleses. "Futebol não é tão simples, você não pode identificar um único fator, é preciso ter uma visão geral para vencer uma equipe como a Inglaterra. Devemos defender, ser corajosos, ter uma ideia clara do que queremos quando formos atacar", comentou.

 

O técnico lamentou que a Inglaterra tenha uma característica em especial parecida com a Suécia. "As bolas paradas são uma das chaves, mas essa é a primeira vez que vamos encontrar equipe tão boa quanto a nossa nessa área", disse Andersson.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.