Tolga Bozoglu/EFE
Tolga Bozoglu/EFE

Técnico da Suécia se surpreende ao ouvir torcedores gritarem seu nome: 'Surreal'

Janne Andersson comemora sentimento e diz que o time 'não está completamente satisfeito'

Estadão Conteúdo

03 Julho 2018 | 14h58

O técnico Janne Andersson era o mais nervoso no campo entre os suecos. Ele gesticulava, resmungava e reclamava dos seus jogadores no truncado duelo contra a Suíça. Até que saiu o gol de Forsberg para deixá-lo momentaneamente mais calmo. Mas seguiu o jogo e ele continuou impaciente até que o árbitro encerrou o jogo e a equipe se garantiu nas quartas de final da Copa da Rússia com o triunfo por 1 a 0 nesta terça-feira, em São Petersburgo.

+ Mesmo sem brilho, Suécia passa pela Suíça e vai às quartas após 24 anos

+ Melhor em campo, Forsberg se emociona com classificação da Suécia às quartas

Nas arquibancadas, os torcedores da Suécia permaneceram na Arena após o término da partida e gritaram o nome do treinador. Na entrevista coletiva, Andersson admitiu que ficou sem reação ao receber a homenagem.

"É um sentimento surreal ficar em pé ao lado do campo ouvindo os torcedores gritarem seu nome. Mas futebol é um esporte coletivo e esse time, para mim, personifica isso. Trabalhamos muito duro uns pelos outros dentro e fora de campo. Sabemos que somos um bom time e isso que temos garante o nosso sucesso", afirmou o treinador.

Um dos fatores que talvez tenha contribuído para essa força do grupo foi a ausência do centroavante Ibrahimovic na Copa do Mundo. Ao término da Eurocopa de 2016, o astro sueco decretou sua aposentadoria da seleção.

No entanto, assim que o time garantiu a vaga na repescagem das Eliminatórias Europeias ao eliminar a Itália, Ibrahimovic disse que estava à disposição da Suécia para a Copa do Mundo. Andersson optou por barrá-lo da convocação para o Mundial e deu força para seu atual elenco.

 

"Estamos muito felizes pelo bom desempenho da equipe por ter ido tão longe. Precisamos digerir essa alegria rapidamente porque temos outra grande decisão em breve. Não estamos completamente satisfeito com o que fizemos até agora. Queremos ganhar o próximo jogo também", afirmou o treinador.

A Suécia volta a campo no próximo sábado, às 11h (de Brasília), em Samara, para enfrentar o vencedor do confronto entre Colômbia e Inglaterra, que jogam ainda nesta terça-feira, às 15h, em Moscou. Para esta partida, o treinador sueco não poderá contar com seu lateral-direito Lustig, suspenso pelo segundo cartão amarelo. Em compensação terá a volta do volante Sebastian Larsson, que cumpriu suspensão.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.