Georgi Licovski / EFE
Georgi Licovski / EFE

Técnico da Suíça pede domínio desde o início do jogo contra a Suécia

Vladimir Petkovic elogia adversário e minimiza jejum suíço de oitenta anos sem vencer jogos eliminatórios em Copa do Mundo

Estadão Conteúdo

02 Julho 2018 | 12h58

O técnico Vladimir Petkovic espera que a Suíça não tenha de correr em situação desfavorável durante o duelo nas oitavas de final da Copa do Mundo, contra a Suécia, às 11 horas (de Brasília) desta terça-feira, em São Petersburgo. Na primeira fase, a equipe do treinador bósnio saiu atrás do placar em duas partidas e não conseguiu segurar a vantagem construída contra a Costa Rica, empate por 2 a 2, em Nijni Novgorod, na última quarta-feira.

+ Depois de multar jogadores, Fifa pune Suíça por ofensa e invasão a estádio

+ Técnico da Suíça pede 'futebol atrativo' para derrotar a Suécia

+ Antes da Suécia, atacante suíço cita eliminação na Eurocopa de 2016: 'aprendemos'

"Nós nos colocamos em situações desconfortáveis nos três jogos. Contra a Suécia, queremos controlar o jogo desde o começo. Estaremos famintos assim como nossos torcedores que viajaram para cá", prometeu Petkovic em coletiva de imprensa concedida nesta segunda-feira, em São Petersburgo.

"As expectativas são altas, quanto mais próximo do jogo, mais a concentração aumenta. No momento, tenho pensamentos positivos", afirmou o treinador, acompanhado na coletiva pelo meio-campista Granit Xhaka. "Nós não podemos esperar para jogar. A Suécia é uma grande equipe, mas queremos jogar o nosso jogo e, especialmente, passar de fase", concluiu o jogador.

Petkovic não diminui a confiança nem ao elogiar a seleção adversária: "A Suécia é uma grande adversária, não podemos esquecer do que são capazes e do caminho deles, mas somos a Suíça e queremos a vitória". Sobre o jejum da seleção suíça em jogos eliminatórios de Copas do Mundo, o técnico minimizou.

"Eu não penso muito sobre o passado e a nas oportunidades perdidas. Temos uma chance muito importante pela frente e faremos tudo para vencer", disse o treinador bósnio. A última vez que a Suíça eliminou um adversário em Mundiais foi em 1938, na primeira Copa disputada na Itália, quando os suíços passaram pela Alemanha nas oitavas de final.

 

Uma eliminação recente que incomoda Xhaka aconteceu há dois anos, na Eurocopa de 2016. Na ocasião, a Suíça perdeu nos pênaltis para a Polônia. "É claro que a gente lembra. Queremos derrotar a Suécia em 90 ou 120 minutos", disse o meio-campista, satisfeito com um triunfo no tempo normal ou na prorrogação.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.