Técnico de Camarões na Copa de 1998 assume a seleção do Togo

O técnico francês Claude Le Roy chegou para substituir Tom Saintfiet

Estadão Conteúdo

07 de abril de 2016 | 10h29

A seleção togolesa tem novo técnico. Nesta quinta-feira, a Federação de Futebol de Togo anunciou a saída do treinador belga Tom Saintfiet e também confirmou que o seu sucessor vai ser o francês Claude Le Roy, que chega com o difícil objetivo de tentar classificar a equipe para a Copa Africana de Nações de 2017.

A federação explicou que Saintfiet saiu após um acordo amigável, tendo permanecido no cargo por menos de um ano. Le Roy, um treinador com larga experiência no futebol africano, assinou um contrato válido até 2019.

Le Roy tentará reavivar as esperanças do Togo ir ao Gabão no próximo ano, mas reconheceu se tratar de uma tarefa complicada, pois a equipe está apenas na terceira posição em sua chave nas Eliminatórias da Copa Africana de Nações de 2017, com duas rodadas a serem disputadas. Apenas o primeiro colocado de cada grupo se classifica, além dos dois melhores segundos colocados.

Assim, Le Roy declarou que a vaga na Copa Africana de 2019 é uma meta mais realista. "Meu dever como treinador é encontrar soluções, inclusive levando a equipe ao Gabão, mas, em última análise, vamos nos concentrar em preparar os jogadores para 2019", disse, na sequência da sua nomeação, nesta quarta-feira.

Le Roy trabalhou várias vezes no futebol da África, tendo sido campeão continental em 1998 por Camarões, seleção em que teve duas passagens e a dirigiu na Copa do Mundo de 1998. Ele também foi treinador do Senegal, da República Democrática do Congo e de Gana.

O último trabalho do francês, de 68 anos, foi à frente da seleção do Congo, tendo avançado até as quartas de final da Copa Africana de Nações de 2015, em Guiné Equatorial. Agora assume Togo, que está apenas na 103ª posição no ranking da Fifa.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolTogoClaude Le Roy

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.