Técnico de Gana minimiza pressão e enaltece o Uruguai

Se vencer o Uruguai na sexta-feira, Gana pode fazer história: nunca uma seleção africana avançou à semifinal de uma Copa do Mundo. O técnico Milovan Rajevac, no entanto, procurou minimizar a pressão. Disse que os seus comandados já provaram o valor e garantiu que o oponente sul-americano será um grande adversário.

AE, Agência Estado

30 de junho de 2010 | 07h57

"Não estamos pensando na pressão. Tentaremos relaxar o máximo possível. Vocês sabem o quanto é bom para nós estarmos aqui, já estamos feliz com toda a situação", avaliou o treinador. "Não temos nenhuma obrigação, mas gostaríamos de aproveitar essa oportunidade para fazer história".

Preocupado com a qualidade uruguaia, Rajevac explicou que será preciso uma marcação especial sobre Diego Forlan. "A campanha uruguaia é muito boa. Eles precisam estar entre as melhores seleções do mundo. O Uruguai merece todo respeito e Forlan é um jogador muito fino", disse o técnico, afirmando que Gana tem condições de encontrar os pontos fracos do adversário.

"Mas temos condições de encontrar nosso jogo e obter sucesso. Não ajustaremos nosso estilo e tentaremos aproveitar cada fraqueza que podemos encontrar em nossos oponentes. O que é importante é estar pronto para o que a partida exigir", completou.

Tudo o que sabemos sobre:
Copa 2010futebolGanaMilovan Rajevac

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.