Hassan Anmar / AP
Hassan Anmar / AP

Técnico de Marrocos se diz 'orgulhoso' de time e vê falta de Pepe em lance de gol

Técnico afirma que equipe foi ousada, mas pecou nas finalizações em derrota para Portugal

Glauco de Pierri, enviado especial / Moscou, O Estado de S.Paulo

20 Junho 2018 | 12h02

O francês Herve Renard, técnico de Marrocos, afirmou em entrevista coletiva realizada logo após a partida contra Portugal, nesta quarta-feira, no estádio Luzhniki, em Moscou, que está orgulhoso de sua seleção. "Sinto orgulho de todos. Dos jogadores, dos integrantes da comissão técnica, dos dirigentes, dos torcedores". Seu único problema foi quando foi questionado sobre a arbitragem do confronto no qual os portugueses venceram por 1 a 0, em Moscou, pela segunda rodada do Grupo B da Copa do Mundo.

+ CBF lamenta posição da Fifa e promete 'diálogo' para evitar erros contra seleção

+ Neymar fora da Copa? Atacante treina e viaja para enfrentar a Costa Rica

"Com todo o respeito, peço apenas que olhem o gol de Cristiano Ronaldo e vejam a falta que ocorre na jogada. Peço que analisem o replay, que façam suas análises que contem a verdade. O camisa número 3 (Pepe, zagueiro de Portugal) faz uma falta que deveria ter sido marcada", afirmou.

"Mas eu não quero reclamar, porque sei que posso ser punido, sancionado. Quero dizer que estou orgulhoso dessa equipe, do que fizemos. Pode parecer estranho, mas é o que esta equipe está sentindo", disse o francês.

Questionado sobre o fato de Cristiano Ronaldo ter sido eleito o melhor do jogo pela Fifa, ele se esquivou. "Não estou aqui para falar sobre quem ganhou esse prêmio. Quero dizer que nós demonstramos que sabemos jogar futebol. Fazia 20 anos que Marrocos não chegava à Copa e estamos aqui. Estou muito orgulhoso de todos, desde os jogadores até a comissão técnica e dirigentes", comentou o treinador.

 

Em relação à partida, Renard disse que sua equipe foi "ousada", mas que não foi efetiva nas finalizações. "Arriscamos. Sabíamos que Portugal usaria os contra-ataques. Assim como no jogo contra o Irã, perdemos muitos gols. Criamos muitas chances, mas perdemos muitos gols. É o que acontece no mundo do futebol. Temos que trabalhar", afirmou.

Por final, o treinador repetiu o discurso de "orgulho". "Repito, mais uma vez. Estou orgulhoso. Vamos trabalhar para terminar a competição e continuar dando orgulho para nosso povo", projetou o comandante, que agora vai preparar a seleção marroquina para enfrentar a Espanha, no próximo dia 25, em Kalingrado, na rodada final do Grupo B da Copa.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.