EFE/Georgi Licovski
EFE/Georgi Licovski

Técnico de Portugal admite poupar titulares, mas despista sobre Cristiano Ronaldo

Seleção Portuguesa enfrenta Nova Zelândia, enquanto México e Rússia brigam pela classificação no outro jogo da chave

Estadão Conteúdo

23 de junho de 2017 | 12h06

O técnico da seleção portuguesa, Fernando Santos, admitiu nesta sexta-feira que irá poupar titulares na partida contra a já eliminada Nova Zelândia, neste sábado, às 12 horas (de Brasília), em São Petersburgo, na Rússia, na última rodada do Grupo A da Copa das Confederações. O treinador, porém, despistou ao ser questionado em entrevista coletiva se deixará Cristiano Ronaldo entre os reservas e deixá-lo como opção para entrar em campo no decorrer do confronto no qual o time nacional tentará garantir classificação às semifinais.

O comandante ressaltou que os seus jogadores estão desgastados após terem encerrado recentemente a última temporada europeia e lembrou que o intervalo é curto entre as partidas desta fase da competição realizada pela Fifa e que é o principal evento-teste para a Copa do Mundo de 2018.

"Num fim de temporada jogar de três em três dias não é fácil. Vai haver alguma rotação, consoante a minha análise e a condição dos jogadores. Tenho um grupo de trabalho em que confio em absoluto. Há mais de 4,5 milhões (de portugueses) que querem ver Portugal e o Ronaldo. Todos querem ver Cristiano Ronaldo, até eu", afirmou, rindo, Fernando Santos.

Com quatro pontos em dois jogos após empatar com o México na estreia e vencer a Rússia em seu segundo desafio na Copa das Confederações, Portugal está na vice-liderança do Grupo A, com os mesmos quatro pontos dos mexicanos, que ocupam a primeira posição pelo maior número de gols marcados (4 a 3) - as duas seleções também estão empatadas no saldo de bolas na rede, com um gol cada.

A Rússia, com três pontos, figura na terceira posição desta chave e enfrenta o México neste sábado, também às 12 horas (de Brasília), e está na briga pela classificação. E tendo em vista o acirramento da disputa por duas vagas nas semifinais entre três das quatro seleções deste Grupo A, Fernando Santos ressaltou nesta sexta que os seus comandados não podem se iludir com o fato de a Nova Zelândia já estar eliminada e aproveitou para cobrar empenho na busca pela vitória.

O treinador fez a cobrança ao também garantir que não está preocupado com o possível cruzamento das semifinais da Copa das Confederações, na qual o líder de uma chave enfrenta o vice-líder da outra. Pela sua posição atual, Portugal pegaria a Alemanha, hoje primeira colocada do Grupo B, na próxima fase.

"Não me preocupo com o vai acontecer depois. Estamos focados em rever (estudar) bem a equipe da Nova Zelândia, que é uma bom time. Respeitamos sempre os nossos adversários, é essa a nossa norma: concentração máxima e respeito máximo. Quando passarmos esta fase iremos analisar futuros adversários", assegurou Fernando Santos, que depois exibiu confiança ao enfatizar: "O nosso objetivo é chegar sempre ao limite pela vitória e vamos concentrar-nos nisso. Há uma estratégia montada para este jogo e que nos vai fazer chegar à próxima fase".

O comandante ainda elogiou a seleção neozelandesa e lembrou que a mesma deu muito trabalho ao México na derrota por 2 a 1 que sofreu na última quarta, em Sochi, onde chegou a abrir o placar no primeiro tempo antes de levar a virada na etapa final.

"É uma seleção que trabalha e luta muito, tem jogadores que jogam em bons campeonatos, como no Reino Unido. Tem uma equipe experiente, um treinador experiente, capacidade de trabalho, é muito rápida na saída para o ataque… Complicou muito o jogo ao México, podia até ter tido outro resultado. É preciso ter atenção, não queremos ser surpreendidos", alertou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.