Reprodução/Instagram
Reprodução/Instagram

Técnico desabafa após demissão depois de não escolher jogador para bater pênalti: ‘Amadorismo’

Com apenas um jogo sob o comando do Anapolina, Lucas Oliveira é sacado da equipe após entrar em rota de colisão com o lateral-esquerdo Marquinhos e citar atos de indisciplina do atleta, que rebate e diz que vai processar treinador

Redação, O Estado de S.Paulo

05 de outubro de 2021 | 12h53

O futebol goiano viveu uma situação inusitada nesta segunda-feira. O técnico Lucas Oliveira foi demitido do comando do Anapolina, uma das equipes mais tradicionais do Estado, após apenas um jogo no cardo. Ele entrou em rota de colisão com o lateral-esquerdo Marquinhos, de 27 anos, e titular do time. Nas redes sociais, o treinador publicou nota explicativa afirmando que o atleta causou diversos problemas internos nas últimas semanas, que se agravaram após ele não ser escolhido como batedor oficial de pênaltis da equipe. 

Ser retirado da função causou a ira do jogador, quer tratou de 'buscar' seus direitos com a direção do Anapolina. Segundo escreveu o treinador Lucas Oliveira, na preleção de sábado, às vésperas do jogo contra o Morrinhos FC pela Divisão de Acesso do Campeonato Goiano, Marquinhos xingou o comandante e os colegas de elenco assim que foi informado que não seria mais o cobrador oficial das penalidades. Depois disso, ele foi cortado da sequência da temporada pelo técnico. Horas mais tarde, o lateral reverteu a situação e quem foi demitido foi o treinador.

"Fui surpreendido por uma reunião com a diretoria da instituição informando que a mesma optaria por manter o determinado profissional no clube e me demitir do comando da equipe, mesmo após pedidos de lideranças do elenco pontuando que determinada atitude prejudicaria a sequência do time na competição e a honra da instituição", escreveu o treinador nas redes socias.

Em seu desabafo, Lucas Oliveira comentou ainda episódios de indisciplina de Marquinhos durante os 35 dias de pré-temporada, citando brigas em treinamentos, além de faltas e atrasos em trabalhos da equipe causados por ingestão de álcool na noite anterior. 

"Em 16 anos de profissão, poucas vezes vivenciei atos envolvendo tal amadorismo. Não aceito e nunca aceitarei atitudes medíocres e amadoras como as que vivenciei nesses últimos dias", disse. 

Em seu perfil oficial no Instagram, Marquinhos, que tem passagens por Goiás, São Caetano, ABC e Vila Nova, rebateu a versão do treinador. Ele afirma que as alegações são "mentiras" com o objetivo de o "difamar" e que vai processar Lucas Oliveira, que segundo ele foi demitido por "incompetência, ego e vaidade." "Até papagaio fala", disse o lateral. "Não sou ídolo a toa, minha história com essa camisa foi escrita e agora vou lutar por muito mais."

O Anapolina agiu rápido e anunciou o retorno de Vilson Taddei para a sequência da briga na Divisão de Acesso. Procurada, o time goiano não retornou a reportagem para comentar o caso. A equipe volta a campo nesta quarta-feira para enfrentar o Inhumas, às 20h30, no Estádio Jonas Duarte.  

Tudo o que sabemos sobre:
futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.