Técnico diz que Avaí 'caiu de pé' no Campeonato Brasileiro

Abatido pelo rebaixamento do Avaí na rodada final do Brasileirão, o técnico Raul Cabral afirmou que o time catarinense "caiu de pé" ao empatar com o campeão Corinthians, neste domingo, fora de casa. Na sua opinião, não foi o resultado no Itaquerão que causou a queda à Série B.

Estadão Conteúdo

07 de dezembro de 2015 | 12h20

"A avaliação que a gente faz é que não fomos rebaixados hoje. Hoje caímos de pé. Tivemos uma boa atuação, mas erramos em uma bola e pagamos", afirmou o treinador. No Itaquerão, o Avaí abriu o placar no segundo tempo e tinha nas mãos o resultado que o mantinha na primeira divisão. No entanto, Vágner Love empatou o jogo, o que rebaixou os catarinenses.

"Foi um conjunto de fatores. Tivemos fatores fora do campo que precisaram ser administrados, tivemos problemas de elenco que não conseguimos repor a curto prazo e fizemos um turno com uma pontuação baixa. No returno pontuamos mais e até por isso eu acho que não fomos rebaixados hoje", explicou Cabral.

Ao empatar com o Corinthians, o Avaí ficou com 42 pontos, sendo superado pelo rival Figueirense, que alcançou os 43 ao derrotar o Fluminense, em casa, na mesma rodada. Mais abaixo do Avaí ficou o Goiás, com apenas 38 pontos. O time goiano sofreu a queda em razão dos resultados dos adversários e por causa da própria derrota para o São Paulo por 1 a 0, no Serra Dourada.

Assim como o Avaí, o Goiás culpou diversos fatores para explicar a queda. "A começar pela dificuldade financeira. Não dá para brigar com clubes donos de receitas muito maiores. Outro motivo foi o fato de os garotos da base não terem correspondido. Não fizeram o esperado. Por fim, os atletas experientes também não fizeram sua parte", enumerou o presidente do clube goiano, Sergio Rassi.

Para tentar recuperar o Goiás e voltar à Série A, o dirigente cogita mudanças significativas no clube, a começar pela possível saída do ex-goleiro Harlei, atual responsável pela gestão do futebol do Goiás.

"A gestão de futebol teve culpa total no rebaixamento. Foi nosso principal problema. Tivemos contratações totalmente equivocadas e trocamos de técnico quase todo dia. Harlei é uma pessoa correta e leal, mas, no meu entender, não goza de simpatia junto ao elenco", declarou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolAvaíGoiásrebaixamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.