Técnico diz que Grêmio não pode escolher adversário

O técnico interino do Grêmio, Marcelo Rospide, ficou satisfeito com a vitória por 3 a 0 sobre o Boyacá Chicó, que assegurou à equipe a melhor campanha da fase de grupos da Libertadores, e disse que o time ainda não está preocupado com o adversário nas oitavas-de-final, que será definido até quinta-feira. Ele disse que se dará por satisfeito se o time não tiver de fazer uma viagem muito desgastante.

AE, Agência Estado

29 de abril de 2009 | 12h01

Veja também:

linkGrêmio derrota Boyacá e termina com melhor campanha

"O ruim mesmo seria uma viagem muito longa, porque é um período curto. Quanto à qualidade, é difícil fazer projeção, porque cada jogo é um jogo, uma história diferente, ainda mais na fase mata-mata, quando uma equipe inferior tecnicamente pode sempre trazer dificuldades jogando em casa", afirmou o treinador. Para ele, os adversários darão uma atenção especial ao Grêmio, devido à melhor campanha. "Já que somos os líderes, todo mundo vai querer tirar uma casquinha."

Rospide aproveitou para dizer que está tranquilo na condição de interino - o clube teria tudo acertado com Paulo Autuori, embora não confirme que está esperando o treinador ser liberado do Catar, no fim de maio. "Só o fato de estar como interino já é uma grande transição, porque eu era observador, e neste ano virei auxiliar técnico direto. A ideia é permanecer como colaborador."

Tudo o que sabemos sobre:
Copa LibertadoresfutebolGrêmio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.