Técnico diz que objetivo do Cruzeiro nunca foi o título

Dorival Júnior afirma que não está preocupado com maus resultados e que seu trabalho é a longo prazo

Eduardo Kattah, Especial para o Estadão

08 de outubro de 2007 | 17h49

O Cruzeiro deixou escapar nas últimas rodadas a oportunidade de se aproximar do líder São Paulo, mas o técnico Dorival Júnior afirma que o título do Campeonato Brasileiro deste ano "nunca" foi prioridade do grupo e da diretoria celeste. Nas últimas três rodadas, o time mineiro amargou duas derrotas em casa (Figueirense e Santos) e no domingo empatou por 0 a 0 com o Goiás, em Goiânia. Os tropeços ocorreram justamente no momento em que tricolor do Morumbi sofreu duas derrotas consecutivas. O resultado é que, faltando oito rodadas para o término da competição, a equipe da Toca da Raposa está 11 pontos atrás do primeiro colocado e permitiu a chegada de concorrentes próximos na luta por vaga na Copa Libertadores de 2008. "O Cruzeiro nunca colocou que vinha perseguindo o São Paulo. Nós sempre colocamos que queríamos primeiro consolidar a nossa posição, que era a segunda colocação", disse o treinador nesta segunda-feira. Em defesa de seu trabalho, o treinador não concorda com a afirmação de que o Cruzeiro tenha caído de produção. Somente na derrota para o Figueirense (1 a 2) Dorival foi enfático nas críticas á atuação do time. Contra o Santos (0 a 1), as reclamações foram direcionadas para arbitragem, que não teria marcado uma falta em favor do Cruzeiro no lance do gol, já nos acréscimos da partida. O técnico, por fim, avaliou que no último domingo a equipe pecou nas finalizações e merecia deixar o Serra Dourado com uma vitória.  Mas tudo dentro da normalidade do "perde-ganha" do Brasileirão, argumenta Dorival. "Não acho que é o Cruzeiro que deu uma caída. O Cruzeiro perdeu dois jogos normalmente como o São Paulo perdeu, para você ver o quanto está equilibrado esse campeonato", afirmou. "O São Paulo, por méritos, conseguiu uma grande vantagem, agora as demais equipes se mantêm num processo de igualdade de condições, fazendo que a disputa se estenda até as últimas rodadas".  Alto nível Embora afirme que a disputa pelo título "ainda está em aberto", o treinador insiste que o principal objetivo é garantir participação na Libertadores do ano que vem. Após o jogo contra o Goiás, Dorival cobrou reconhecimento pedindo que a campanha do Cruzeiro não seja denegrida. "É uma campanha de alto nível para uma equipe que até há pouco tempo chegou a disputar uma zona de rebaixamento". A diretoria cruzeirense já sinalizou com a renovação do contrato do técnico. "Deixamos para conversar depois do campeonato", disse Dorival, garantindo que tem interesse de permanecer no clube mineiro em 2008. "Gostaria muito de ter a oportunidade de poder fazer um trabalho de médio a longo prazo aqui dentro".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.