Técnico diz que Shakhtar 'está pronto' para negociar trio de brasileiros

O Shakhtar Donetsk deve perder três dos 13 brasileiros em seu elenco para a próxima temporada. Nesta segunda-feira, o técnico Mircea Lucescu admitiu que o clube "está pronto" para negociar o volante Fernando, o meia Douglas Costa e o atacante Luiz Adriano, que atraíram a atenção de times do exterior e devem mesmo deixar a Ucrânia para 2015/2016.

Estadão Conteúdo

29 de junho de 2015 | 16h58

"Estamos prontos para liberar ou vender jogadores que já há muito tempo defendem as cores do nosso clube. Nomeadamente, o Douglas Costa, o (Luiz) Adriano e o Fernando. Estamos atualmente em conversações relacionadas a esses jogadores", declarou em entrevista coletiva na Áustria, onde o time realiza pré-temporada.

Destes, quem chama mais atenção é Douglas Costa. Convocado por Dunga para a seleção brasileira que disputou a Copa América deste ano, o jogador atraiu os olhares de Pep Guardiola e está em negociação avançada para defender o Bayern de Munique na próxima temporada. O próprio Lucescu admitiu ter indicado o brasileiro ao time alemão.

"A última vez que falei com ele (Guardiola) foi na Liga dos Campeões. Honestamente, eu já achava que o Bayern tentaria contratar o Douglas. Mas ainda é prematuro falar da transferência como um ato já ocorrido. Ela será considerada apenas quando o Douglas Costa assinar o contrato", afirmou.

Em relação aos outros dois brasileiros, o destino ainda é incerto. Lucescu não falou sobre quem estaria interessado em contratar Fernando. Já Luiz Adriano foi procurado pelo Al Ahly, do Egito, que inclusive entrou em acordo com o Shakhtar, mas a proposta não agradou o atacante.

"Fui informado que esse clube (Al Ahly) tem um acordo pelo Luiz. Mas, pelo que eu sei, o Adriano não aprovou a proposta deles. Ainda há tempo até 31 de agosto, que é quando fecha a janela de transferências. Vamos ver o que acontece", disse o treinador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.