Técnico do Al Sadd diz que precisa de 16 em campo contra o Barça

O técnico Jorge Fossati, do Al Sadd, anunciou a jornalistas - piscando um olho - que tem um plano infalível para derrotar o Barcelona na quinta-feira, pela semifinal do Mundial de Clubes.

REUTERS

14 de dezembro de 2011 | 11h15

"Se aceitarem meu pedido de colocarmos 15 ou 16 jogadores em campo, acho que temos uma chance!", disse o uruguaio.

O clube catalão, de fato, tem amplo favoritismo contra a equipe do Catar, para então fazer a final de domingo contra o Santos, que venceu o japonês Kashiwa Reysol por 3X1 na semifinal.

O capitão do Al Sadd, Abdulla Koni, também demonstrou desânimo com o confronto. "O Barcelona é o maior time do mundo. Se o Real Madrid não consegue derrotar o Barcelona, como vamos conseguir?"

"Viemos aqui para aprender", disse Koni, cujo time venceu o Esperance, da Tunísia, nas quartas de final do torneio, nesta semana. "Realisticamente, só temos 10 por cento de chances de derrotar o Barcelona. Quando eles jogam com a gente, precisam jogar devagar."

O zagueiro Nadir Belhadj se mostrava assustado com a tarefa de marcar o atacante Lionel Messi. "Messi e o Barça são de outro planeta", afirmou o argelino ao site da Fifa. "É possível adivinhar o que Messi vai fazer, mas impedi-lo de fazer é outra história."

Até o badalado atacante Neymar, do Santos, admite que o duelo contra o Barça não será fácil. "Não acho que haja nenhuma tática espetacular a ser usada contra o Barcelona", disse ele antes do jogo contra o Kashiwa. "Vai ter de rezar, pedir a Deus e ir para o jogo".

(Reportagem de Alastair Himmer)

Tudo o que sabemos sobre:
FUTALSADDBARCA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.