Quique Garcia/EFE
Quique Garcia/EFE

Técnico do Barça minimiza críticas: 'Não me aproximo de uma TV ou rádio nem bêbado'

Luis Enrique ignora comentários sobre a má fase da equipe catalã após derrota por 4 a 0 para o PSG

O Estado de S. Paulo

18 Fevereiro 2017 | 14h11

A surpreendente goleada sofrida pelo Barcelona na partida contra o Paris Saint-Germain durante a semana, pela Liga dos Campeões, ainda gera críticas na imprensa espanhola. O sonoro 4 a 0 aplicado pela equipe francesa tem feito com que o trabalho do técnico Luis Enrique à frente do time catalão seja mais uma vez questionado.

O treinador do Barça, no entanto, tem tentado demonstrar tranquilidade. Em meio a especulações sobre a não renovação de contrato para a próxima temporada, ele afirmou não estar preocupado com o futuro e nem com o que se anda falando sobre o momento atual da equipe.

"As críticas me afetam zero, porque se não fosse assim eu não poderia estar nesse cargo há quase três anos. Por sorte há uma distância considerável entre nós e a imprensa. Não os escuto nunca, e não vou fazer isso nesta semana. Não me aproximo a dez metros de uma televisão ou rádio nem bêbado", alfinetou, em entrevista coletiva após o treino da equipe catalã deste sábado.

Com seu estilo habitualmente irônico nas entrevistas, Luis Enrique seguiu minimizando a importância do tropeço contra o PSG. Perguntado sobre o que fez após a partida, ele debochou. "Joguei muito ludo (jogo de tabuleiro) com minha mulher, onde ela com certeza me vence", bradou, admitindo depois, em tom maos sério, que pensa muito no jogo de volta da Champions.

"Tenho ele na minha cabeça desde quarta-feira, e seguirá sendo assim todas as noites pelo próximo mês. Mas não podemos nos centralizar nisso, existem outras partidas", afirmou, minimizando as especulações sobre sua saída que ganharam força após o 4 a 0. "O que tem acontecido nesses meses não tem nada a ver com a minha decisão sobre o futuro. E eu ainda não tomei nenhuma decisão", explicou.

Mais conteúdo sobre:
Futebol Internacional Barcelona Futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.