Técnico do Chile diz que punição a Jara cria precedente perigoso

O técnico da seleção chilena, Jorge Sampaoli, ficou indignado com a punição de três partidas imposta ao zagueiro Gonzalo Jara. O jogador levou o gancho por causa da "mão boba" em Edinson Cavani durante o jogo das quartas de final da Copa América entre Chile e Uruguai.

Estadão Conteúdo

28 de junho de 2015 | 19h47

O treinador reclama que o árbitro brasileiro Sandro Meira Ricci não relatou na súmula o acontecimento e que o jogador só foi punido porque a Associação Uruguaia de Futebol reuniu registros da provocação para abrir um processo contra o jogador.

"Se vai acatar denúncias que não tem a ver com as informações do árbitro, seguramente será muito complicado", comentou. "Agora tem que ficar claro que daqui para frente todo mundo terá que ser avaliado da mesma forma. Vai abrir um precedente para tudo ser analisado pontualmente e criará uma situação muito estranha", completou.

Em resposta à denúncia, a Associação de Futebol Profissional do Chile apresentou acusação contra sete jogadores do Uruguai - os julgamentos acontecerão depois do final da competição. O Chile enfrentará o Peru nesta segunda-feira em duelo válido pelas semifinais da Copa América.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.