Técnico do Cruzeiro elogia marcação do América-MG

O técnico Adilson Batista, do Cruzeiro, disse que o poder de marcação do América-MG acabou provocando o empate por 0 a 0 entre as duas equipes, no clássico do domingo. "Mérito para a marcação deles. Temos que enaltecer o adversário e relevar algumas coisas. Faltou objetividade e um pouco mais de agressividade para o Cruzeiro, principalmente no primeiro tempo", afirmou o treinador.

AE, Agencia Estado

16 de março de 2009 | 10h13

Para Adilson, alguns jogadores não renderam o esperado, fazendo com que o time esbarrasse no sistema defensivo do América-MG. "Futebol é coletivo. Se dois ou três não estão em uma tarde inspirada, atrapalha o rendimento dos demais, acaba sobrecarregando. Com calma a gente vai mostrando o que nós gostamos e o que a gente acha que tem que melhorar", analisou o treinador.

Apesar do empate sem gols, o volante Marquinhos Paraná lembrou que o Cruzeiro ainda é o líder isolado do Campeonato Mineiro, e na quarta-feira já tem uma importante partida pela Libertadores, contra o Universitario de Sucre, da Bolívia, novamente no Mineirão. "Hoje mais uma vez não conseguimos fazer gols, mas não adianta ficar preocupados. Estamos no caminho certo, somos líderes ainda e agora é pensar na quarta feira", concluiu Marquinhos Paraná.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.