Staff Imagens / Flamengo
Staff Imagens / Flamengo

Técnico do Flamengo poupa Tite e critica calendário da CBF

"A gente precisa mexer no calendário e isso vai incomodar muita gente", declarou Maurício Barbieri

Estadão Conteúdo

21 Agosto 2018 | 10h29

Com risco de perder até cinco jogadores do Flamengo na Copa do Brasil, o técnico Maurício Barbieri criticou o calendário da CBF devido à coincidência de datas entre a semifinal da Copa do Brasil e os amistosos das seleções. Para a equipe brasileira, o treinador cederá o atacante Lucas Paquetá e o goleiro Hugo.

A seleção brasileira enfrentará no dia 7 de setembro, uma sexta-feira, a equipe dos Estados Unidos, às 21h05 (de Brasília), em New Jersey. Quatro dias depois, no dia 11, uma terça, os adversários do time nacional serão os salvadorenhos, às 21h30 (também no horário de Brasília), em Washington.

"O Tite é o treinador da seleção e tem a prerrogativa de convocar os melhores. Ele não é o errado da história, o errado é o calendário. É uma data Fifa, existem outros jogadores selecionáveis por outras seleções que também vão perder o jogo", disse o treinador, em entrevista ao canal SporTV.

Além dos dois jogadores cedidos à seleção brasileira, Barbieri vai perder Trauco, já convocado pela seleção do Peru. E pode ter ainda as baixas de Cuellar e Piris da Mota. "Trauco foi convocado, Cuéllar não sei se vai ser, Piris também. A CBF te coloca para disputar uma semifinal de Copa do Brasil sem os melhores jogadores. Quem perde é o espetáculo", declarou.

A maior preocupação do Flamengo é com o jogo de ida da semifinal da Copa do Brasil, que deve coincidir com os amistosos das seleções. "Temos um problema sério de calendário. Vivenciamos um esporte que poderia ser muito mais qualificado para os torcedores e a gente sem tempo para treinamento, sem tempo para repouso e recuperação dos atletas. A Seleção está sendo mais um agravante. A gente precisa mexer no calendário e isso vai incomodar muita gente", declarou Barbieri.

 

 

Mais conteúdo sobre:
futebol Flamengo Barbieri

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.