Técnico do Japão reclama que a obrigação era vencer

Segundo Alberto Zaccheroni, a seleção japonesa pecou na velocidade ao fazer lançamentos curtos dmais e muito lentos

Felipe Corazza, Agência Estado

19 de junho de 2014 | 21h47

Depois do empate frustrante em 0 a 0 com a Grécia, nesta quinta-feira, na Arena das Dunas, em Natal, o técnico do Japão, o italiano Alberto Zaccheroni, foi direto: "Era um jogo que nós tínhamos que vencer". O treinador, que conseguiu envolver o time grego em campo, mas não teve sucesso nas finalizações, enxerga com dificuldade a situação para uma ainda possível classificação.

Os jogadores não foram poupados por Alberto Zaccheroni. "O que faltou foi velocidade nas finalizações. Os lançamentos eram curtos demais e muito lentos", disse.

Alberto Zaccheroni defendeu a decisão de insistir nos cruzamentos, mesmo contra uma defesa grega de estatura mais alta e insistiu na falta de velocidade na bola lançada para os atacantes desde o meio de campo.

Os japoneses jogarão nesta terça-feira em Manaus contra a Colômbia, líder do grupo. Além da vitória, o Japão depende de um empate entre Costa do Marfim e Grécia, que se enfrentarão no mesmo dia em Fortaleza.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.