Reuters/ Toru Hanai
Reuters/ Toru Hanai

Técnico do Kashima Antlers critica arbitragem: 'Não foi suficientemente valente'

Lance polêmico poderia ter expulsado zagueiro merengue Sergio Ramos

Estadão Conteúdo

18 de dezembro de 2016 | 16h03

O técnico do Kashima Antlers, Masatada Ishii, reclamou da arbitragem após a derrota por 4 a 2 para o Real Madrid na prorrogação, neste domingo, na decisão do Mundial de Clubes da Fifa, em Yokohama, no Japão. Sem entrar muito em detalhes, o treinador opinou que o árbitro Janny Sikazwe, de Zâmbia, deveria ter sido mais enérgico em certos momentos da partida.

"Criamos problemas para o Real Madrid, mas essas partidas se resolvem por pequenas diferenças. Meus jogadores, desde o início da partida, foram valentes e jogaram o máximo. Mas o árbitro, em um momento importante, não foi suficientemente valente e acho que isso é lamentável", comentou o treinador.

Ao ser questionado se a referência era ao lance que poderia ter expulsado o zagueiro Sergio Ramos, ele evitou entrar em detalhes. "Não quero ir mais além". No segundo tempo da partida, quando o placar estava em 2 a 2, o espanhol cometeu uma falta dura no jogador japonês, paralisando o início de um contra-ataque.

O árbitro chegou a colocar a mão no bolso para puxar o cartão, mas como Sergio Ramos já tinha o amarelo, ele desistiu de dar o vermelho e deixar a equipe do atacante português Cristiano Ronaldo com um a menos. Ishii preferiu destacar os pontos positivos de sua equipe durante a partida. "Eles chegaram a um nível mundial. Acho que o futebol apresentado pelo Kashima deve animar outras pequenas equipes do mundo. Mas também o time careceu da parte física no final e não conseguiram manter o nível necessário", analisou.

Destaque do Kashima Antlers na partida ao marcar dois gols, o atacante Shibasaki também optou por destacar os pontos positivos de sua equipe. "O resultado é o que conta, mas fizemos muitas coisas boas. Nos momentos decisivos da final se viu a grande qualidade do Real Madrid", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.