Lisi Niesner/Reuters
Lisi Niesner/Reuters

Técnico do Manchester United acha 'injusto' atingir jogadores durante pandemia

Ole Gunnar Solskjaer defende manutenção de salários e afirma que atletas costumam fazer doações para entidades

Redação, Estadão Conteúdo

07 de abril de 2020 | 13h35

Ole Gunnar Solskjaer, técnico do Manchester United, considera "injusta" a cobrança feita sobre os jogadores de futebol neste período de pandemia do novo coronavírus, quando se coloca grande pressão para que os atletas dos times ingleses atuem de forma intensa na ajuda da comunidade.

"Para mim, o futebol às vezes é um alvo fácil", disse o norueguês, em entrevista, nesta terça-feira. "É injusto recorrer a qualquer indivíduo ou jogadores de futebol. Eu sei de muitas contribuições de atletas a grupos carentes da sociedade."

O ministro da Saúde da Grã-Bretanha, Matt Hancock, provocou grande debate na semana passada quando afirmou que os jogadores da Premier League devem "fazer sua parte" e aceitar cortes no salário, pois o que "ganham em um mês, um trabalhador inglês médio leva anos para ganhar."

"Discussões estão ocorrendo entre jogadores e clubes para se saber qual contribuição será feita. Não é fácil para ninguém. Erros estão sendo cometidos e foram cometidos por um monte de pessoas e é assim que aprendemos também. Acho que todos queremos ajudar", afirmou o treinador do United.

O ex-capitão da Inglaterra Wayne Rooney disse que a pressão do público sobre jogadores de elite para sofrerem cortes salariais foi uma "desgraça" e uma tentativa "desesperada" de desviar a atenção da responsabilidade do governo com a pandemia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.