Ibraheem Al-Omari / Reuters
Ibraheem Al-Omari / Reuters

Técnico do Monterrey relembra discussão com Klopp: 'tentou me humilhar'

Antonio Mohamed também fala sobre emoção ao cumprir promessa de ser campeão feita ao filho, falecido em 2006

Redação, Estadão Conteúdo

06 de janeiro de 2020 | 08h24

Antonio Mohamed, técnico do Monterrey, deu detalhes de sua discussão com Jürgen Klopp, treinador do Liverpool, durante a semifinal do Mundial de Clubes. Para o argentino, ele foi provocado e respondeu ao alemão sendo ainda mais deselegante. Na mesma entrevista, comentou sobre a emoção de ser campeão mexicano e cumprir promessa feita a Faryd, seu filho falecido em 2006.

"O que aconteceu foi que ele me desrespeitou. Ele ficou o tempo inteiro pedindo amarelo porque dizia que estávamos batendo no Salah toda hora, mas quando eu pedi um cartão para que expulsassem um jogador dele, ele mostrou a língua e tirou sarro de mim como se eu fosse um v... Quando vi, primeiro eu ri, mas depois fiquei p..., perdi toda a elegância e a compostura", contou Mohamed ao site argentino Enganche.

Mohamed deu detalhes das palavras que usou. "Se eu fosse dizer exatamente o que falei, não lembro, porque pensei: se o xingo em inglês, não sou eu mesmo. Então acho que falei algo como: 'E a p... da sua mãe, quem te c...'. Eu saí, porque nunca mexo com o banco dos outros times, mas fiquei louco porque senti que ele tentou me humilhar. Não sei se reagi bem ou mal, mas só sei que saiu de dentro de mim", relembrou.

O momento da discussão entre os dois foi captado em diversas fotografias. Naquele momento, a partida estava empatada em 1 a 1 - Keita abrira o placar para o Liverpool e Funes Mori empatara para o Monterrey. Depois, Roberto Firmino fez gol nos acréscimos para garantir a vaga do time inglês na final do Mundial, onde derrotou o Flamengo.

EMOÇÃO

Recentemente, o Monterrey foi campeão mexicano ao bater o América nos pênaltis. Uma das imagens que marcou a final foi Mohamed chorando copiosamente no banco de reservas, por ter cumprido a promessa de vencer o principal título do país pelo clube feita ao filho Faryd, que faleceu em um acidente de trânsito quando tinha nove anos.

"Qualquer um que é pai pode entender o que aconteceu comigo. É realmente um alívio, é como sanar, não sei como explicar bem com palavras. Foi um momento emocionante, e por isso estou feliz", afirmou Mohamed sobre o momento, garantindo que foi o título mais emocionante de sua carreira.

Faryd se tornou torcedor do Monterrey enquanto o pai jogou pelo clube, entre 1998 e 2000. A família dos dois viajou para assistir a Copa do Mundo de 2006, na Alemanha, e voltava para o aeroporto de Frankfurt após a eliminação da Argentina pelos anfitriões quando sofreu um grave acidente. Faryd foi socorrido, mas veio a falecer após quatro dias devido aos ferimentos.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.