Técnico do Nacional diz que São Paulo não é mais o mesmo

Gerardo Pelusso confia na passagem do Nacional às quartas-de-final da Copa Libertadores da América

EFE

27 de abril de 2008 | 16h49

Gerardo Pelusso, técnico do Nacional, do Uruguai, adversário do São Paulo nas oitavas-de-final da Copa Libertadores, afirmou que a equipe paulista não é tão boa quanto a de dois anos atrás. "Pelo que vimos, o São Paulo não está tão forte como há dois anos", disse.A diretoria do Nacional analisou a possibilidade de jogar no estádio Centenário, o maior do Uruguai, com capacidade para 65 mil pessoas. No entanto, Pelusso e os jogadores pediram para jogar no acanhado Parque Central, que pertence ao Nacional e tem capacidade para 20 mil."Optamos por jogar no Parque Central, onde ganhamos sempre até agora", disse o técnico, que ficou aliviado por não precisar fazer uma viagem longa no jogo de volta."A vantagem de jogar em São Paulo é que teremos uma viagem curta, retornaremos rapidamente a Montevidéu e o elenco poderá descansar mais do que se jogássemos em lugares distantes", disse.Na próxima quarta, o Nacional vai receber o São Paulo em Montevidéu no jogo de ida das oitavas da Libertadores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.