Técnico do Napoli é suspenso por 2 jogos por insultos ao rival Roberto Mancini

A derrota, e a consequente eliminação nas quartas de final da Copa da Itália, para a Internazionale, na última terça-feira, em Nápoles, custou caro ao treinador Maurizio Sarri, do Napoli. Após se desentender com o técnico rival Roberto Mancini nos minutos finais do jogo, foi expulso e julgado nesta quinta pela Comissão Disciplinar da Federação Italiana de Futebol (FIGC, na sigla em italiano). Resultado: duas partidas de suspensão na competição eliminatória e multa de 20 mil euros (cerca de R$ 90 mil).

Estadão Conteúdo

21 Janeiro 2016 | 20h28

Em nota, a FIGC justificou a punição ao comandante do Napoli, de 57 anos: "Sarri, aos 47 minutos do segundo tempo, insultou seriamente o treinador da equipe rival. As infrações foram notadas pelo quarto árbitro e por oficiais da Federação".

Sarri, que tem feito grande campanha com o Napoli - hoje lidera o Campeonato Italiano -, disse que os comentários foram feitos no "calor do momento". A grande polêmica é que os insultos seriam de cunho homofóbico contra Mancini. "Eu estava nervoso com a expulsão de Mertens. As coisas que acontecem no campo ficam no campo", disse.

Já Roberto Mancini foi multado em cinco mil euros (cerca de R$ 22 mil) por "comportamento intimidador em direção ao técnico rival que o insultou" e por "desrespeitar o quarto árbitro após a partida". Em entrevista à RAI TV após o jogo, o treinador da Internazionale disse que Sarri é "racista" e que homens como ele não deveriam ter espaço no futebol.

Mais conteúdo sobre:
futebolNapoliMaurizio Sarri

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.